Sindicalistas debatem impactos de alterações no PDZ do Porto de Santos

Objetivo é definir um plano de ação para evitar que 13 operadores de cais público e trabalhadores sejam prejudicados

A proposta de alteração no Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) do Porto de Santos será tema de reunião na Prefeitura de Santos. A ideia é discutir os impactos do estudo, que está em fase final de elaboração pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), principalmente no que se refere às operações em cais público.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), João de Andrade Marques, a reunião tem como objetivo definir um plano de ação para evitar que 13 operadores de cais público sejam prejudicados com as mudanças no PDZ. Essas empresas são responsáveis pela movimentação de cerca de 4 milhões de toneladas ao ano. 

Hoje, esses operadores utilizam cinco berços públicos. Mas, com as mudanças no zoneamento do Porto, eles não terão mais pontos de atracação disponíveis. 

“Os maiores afetados serão os trabalhadores, que ficarão sem as requisições ao Ogmo ]Órgão Gestor de Mão de Obra]. Santos vai perder muito dinheiro e empregos, assim como toda a região”, destacou o vice-presidente do Sindaport. 

Os portuários recorreram, na terça-feira (11), ao  presidente da Câmara, Rui de Rosis. Agora, o plano é acionar a Prefeitura de Santos e a deputada federal Rosana Valle (PSB) para evitar a aprovação dessas alterações. 

“Não descartamos nenhuma possibilidade, inclusive a de acionar a Justiça. Essa reunião vai servir para a gente decidir o que fazer”, afirmou o presidente do Sindaport, Everandy Cirino dos Santos. 

A proposta dos sindicatos portuários é que os armazéns 10, 11 e 15 sejam destinados aos 13 operadores de cais público. Essas empresas atuam com pequenos importadores e exportadores.

Audiência pública

Alguns apontam que não foram ouvidos durante a elaboração do estudo. Por isso, pedem a realização de uma audiência pública, prevista para a próxima quarta-feira, às 16h.

Somente após diversas manifestações de sindicalistas do cais santista, no último dia 28, técnicos da autoridade portuária iniciaram reuniões com sindicatos, entidades empresariais, autoridades e representantes da sociedade civil para obter contribuições ao PDZ. A expectativa é de que o estudo seja concluído ainda neste mês.

Tudo sobre: