EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

29 de Maio de 2020

Deputado solicita novas audiências públicas para debater pedágios na Baixada Santista

Tenente Coimbra (PSL) busca ampliar conversas sobre concessão de rodovias, que ligam o Litoral Sul ao Vale do Ribeira, para a iniciativa privada

O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) encaminhou um requerimento à Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) para que sejam realizadas novas audiências públicas sobre a concessão de rodovias, que ligam o Litoral Sul ao Vale do Riberia, para a iniciativa privada e a consequente criação de praças de pedágio na região.

O palarmentar é membro da Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Ele deseja que a Artesp promova estas audiências para debater junto à sociedade a concessão do lote de rodovias do litoral paulista. 

“O problema é que a agência não deu a devida publicidade a essa audiência, que ocorreu em um horário em que a maioria das pessoas está trabalhando. Para ter uma efetiva participação da sociedade, é preciso divulgar melhor a audiência e fazê-la em um horário em que os moradores possam comparecer”, afirmou o deputado.

Na última quarta-feira (23), uma audiência sobre o tema que seria realizada Artesp, em Itanhaém, foi interrompida após um tumulto. Manifestantes que estavam no local protestaram contra a implantação de pedágios anunciados em projeto pela concessionária.

Com o processo de concessão da administração à iniciativa privada, trechos das rodovias SP-98 (Mogi-Bertioga), SP-88 (Pedro Eroles) e SP-55 (Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni/Rio-Santos) devem ganhar quatro praças de pedágio. 

“A população de São Paulo e da Baixada Santista está cansada de pagar pedágios e não ter um atendimento compatível com o valor pago. Precisamos conferir quais serão os termos dessa concessão e se, de fato, ela atende à demanda por melhorias nessas rodovias sem trazer grandes prejuízos para os motoristas”, completou Coimbra.

No requerimento enviado à Artesp, o parlamentar questionou se, conforme as informações divulgadas, o projeto só ficará disponível para consulta pública no site da agência após o fim das audiências e indaga por qual razão o projeto de concessão não é disponibilizado com antecedência.

Tudo sobre: