Autora de peças, Thalita Goés estreia na literatura com romance

Entitulado 'Izabel entre e a a Luz e as Sombras' já está a venda em formato e-book

Autora de peças teatrais desde 2005, a santista Thalita Góes estreia na literatura com o romance Izabel entre a Luz e as Sombras. O primeiro livro, que já está à venda na amazon.com.br, por enquanto em formato e-book, concorre na quinta edição do Prêmio Kindle 2020, concurso literário da Amazon.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A conexão com a escrita é antiga. Desde muito jovem, Thalita escrevia poemas. Foi criada lendo muitos livros e assistindo peças de teatro. Em 2005, escreveu a primeira peça, Espelho de Ana, um drama que resgatava o período da queda da Bolsa de 1929.

Posteriormente, vieram diversos gêneros, de infantis à comédia. “Em 2013, senti a necessidade de escrever um livro e então iniciei essa jornada. Não foi nada fácil, pois as diferenças são muitas. Um espetáculo é todo baseado em diálogos e ações que o público irá ver no palco, enquanto no livro, você tem a narrativa, os diálogos, as descrições. Por ser mais longo, também tem de ficar atento à coerência e cronologia dos fatos. Fiz muita pesquisa para chegar no resultado desejado”, comenta a autora.

Thalita, que também é atriz, diz que tudo a inspira na hora de escrever. “Um livro, uma música, um lugar. No caso desse livro em específico, escrevi na época em que as sagas de fantasia estavam no ápice. Li, no mínimo, três sagas inteiras, mas acredito que o livro é resultado de tudo que li até hoje. O amor impossível de Romeu e Julieta sempre me inspira a criar amores complexos, porém possíveis”.

Apesar de ser lançado somente em 2020, Izabel entre a Luz e as Sombras foi escrito entre 2013 e 2014, todo à mão. “Levava o bloquinho de papel para todos os lugares, assim ia tecendo a narrativa. Parece coisa de gente maluca, mas não conseguia criar no computador, a caneta voava. Era um momento difícil, havia perdido minha avó materna e eu queria muito fazer uma homenagem para ela. Foi então que surgiu a ideia de dar para a minha heroína o nome da minha avó Izabel”.

A homenagem, no entanto, não vem acompanhada de uma história real. “Claro que a história é ficcional e nada tem a ver com a realidade, a homenagem se restringe ao nome. Porém, o tempo passou e o manuscrito ficou guardado, veio a pandemia e resolvi tirá-lo da gaveta. Foi um processo bem trabalhoso, tive de digitar, revisar, formatar, registrar, fazer a capa e finalmente publicar, uma verdadeira odisseia. Mas foi maravilhoso, ainda deu tempo de inscrever o livro no concurso literário da Amazon”.

A relação com a literatura de romance é definitiva. Thalita garante que seguirá publicando seus romances. Inclusive, ela já tem alguns projetos em mente.

“Vou lançar em conjunto com a minha mãe, Fátima Góes, um livro infantojuvenil com contos de mistério, que criamos durante a pandemia para as aulas de teatro on-line. E vou seguir no gênero romance/fantasia. Um novo livro deve ser lançado em 2021. Vou equilibrar a agenda da artista com a da escritora, pois amo os dois ofícios”.

Tudo sobre: