EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

12 de Julho de 2020

Cuidado ao fazer atividade física em casa

Praticar exercícios durante o isolamento pode virar uma grande dor de cabeça

Mesmo que a gente esteja em casa devido ao isolamento social manter a prática de atividade física é a indicação de dez entre dez especialistas. E como as academias estão fechadas, muitas pessoas têm recorrido às aulas on-line ou, então, se viram como podem para não interromper os treinos no dia a dia, só que é preciso atenção!  

“Com a rotina de distanciamento social, é necessário se mexer para ocupar a mente durante esse período e fortalecer o sistema imunológico, já que o exercício físico gera um desvio do estado de homeostase orgânica, levando a uma reorganização da resposta do sistema imunológico”, diz Marcello Zaboroski, ortopedista e traumatologista.  

Um dos primeiros cuidados é caprichar no alongamento, antes e depois da prática da atividade física, lembra o especialista. “Ele é essencial para evitar lesões e contraturas musculares em todos os tipos de atleta, do iniciante ao fitness”.  

Páblius Braga, médico do Centro de Medicina do Esporte do Hospital 9 de Julho, na Capital, diz ainda que manter os treinos é importante para que os músculos continuem ativos, além de auxiliar no processo de digestão e na circulação do sangue, por exemplo.  

“Os exercícios também podem contribuir com a distração e a motivação. Como a tendência é que fiquemos sentados ou deitados na maior parte do tempo, qualquer movimento conta nessa hora”, observa.  

Acompanhamento  

Porém, tanto na hora de escolher os exercícios quanto no momento de executá-los, o ideal é ter sempre a ajuda de um profissional. “As aulas on-line, por meio de plataformas de vídeo, podem ser uma alternativa para esse tipo de situação. Apesar de isso não ser igual a uma aula presencial, o profissional consegue orientar o aluno, checar se os movimentos estão corretos e indicar as atividades mais adequadas, personalizadas de acordo com a sua necessidade”.  

Para quem tem aparelhos e quer fazer os exercícios em casa, Braga pede atenção para a manutenção desses equipamentos. “Algumas pessoas possuem esteira, halteres ou bicicleta dentro de casa, então é sempre bom checar se eles não estão velhos ou com um parafuso solto, por exemplo, para evitar acidentes”.  

Outro ponto que deve ser levado em consideração é o ambiente escolhido para o treino. Tapetes, mesas e quinas de móveis também podem favorecer incidentes. A recomendação é que o local seja arejado e não limite seus movimentos, assim como as roupas devem ser indicadas  

para realizar tais atividades.  

“É imprescindível estar com a vestimenta correta para praticar exercícios. Usar mais roupas para queimar calorias é um método que, além de não funcionar, pode fazer mal. O certo é escolher peças frescas e que proporcionem mobilidade”.  

Faixa etária  

Segundo Zaboroski, é fundamental evitar o sedentarismo para manter o tônus muscular, além de ajudar na circulação sanguínea. Para isso, é necessário levar em consideração os diferentes perfis e faixas etárias dos atletas caseiros.  

“Para idosos, gestantes e crianças são recomendados exercícios de baixo impacto, como elevação lateral dos braços, elevação frontal dos braços, abdominal, bicicleta imaginária, elevação das pontas dos pés e corrida estacionária, sempre tomando cuidado para evitar quedas e traumas por causa de tapetes, chinelos e móveis”.  

Já os atletas que praticam atividade física regularmente, mas que estão impedidos de frequentar a academia e a praia podem se adaptar utilizando utensílios domésticos, como garrafas de água, sacos de mantimentos e objetos pesados para a realização de exercícios de maior impacto.  

“Nesse caso, entre os exercícios sugeridos estão pular corda, flexão de braço, barra fixa, mergulho no banco, prancha no solo, agachamento, elevações lateral e frontal de braços, abdominal, polichinelos, bicicleta imaginária, elevação de ponta de pé e corrida estacionária”.  

“Praticar uma atividade física em casa pode ser o primeiro passo para quem deseja sair do sedentarismo. Outra boa dica para melhorar a resistência e a imunidade é ter uma boa alimentação e beber água. Utilizar aplicativos de treinos também pode ajudar a cuidar do corpo de uma forma mais saudável. Mas vale lembrar que, antes de iniciar qualquer atividade física, a pessoa não pode ter restrições ou contraindicações médicas”, finaliza Marcello Zaboroski 

Questão de hábito  

A melhor forma de se organizar é manter uma rotina de exercícios dentro de casa. “As pessoas que estão fazendo isso garantem o condicionamento físico para uma melhor performance nos treinos na academia quando o isolamento acabar. Se manter ativo durante esse período preserva a musculatura, ainda que menos inflamada do que antes, e isso possibilita que, ao voltar para os exercícios de maior carga, você se beneficie por ter feito algum movimento, mesmo que menos intenso. Também vale destacar a importância de manter o vínculo com o seu personal, se você tiver”, arremata o endocrinologista Alexandre Ferreira. 

Tudo sobre: