EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

16 de Novembro de 2019

Mudança de terminal de passageiros do Porto pode impulsionar região central de Santos

Arquiteta Ariadne Daher, do escritório Jaime Lerner, fala sobre o plano para revitalização da área central da cidade

A mudança do terminal de passageiros Giusfredo Santini (Concais) para a área central de Santos pode ser uma mola propulsora para a revitalização daquela região.

A opinião é da arquiteta Ariadne Daher, do escritório Jaime Lerner, que, em julho, entregou à Prefeitura um projeto que pode contribuir para aumentar o número de moradores, comerciantes e turistas na região.

Ela apresentou a palestra "Renovação Urbana e Políticas Públicas", na abertura do Seminário da Indústria da Construção Civil - Santos e região, realizado nesta terça-feira (22), no auditório do Grupo Tribuna.

Ariadne apresentou a palestra "Renovação Urbana e Políticas Públicas", na abertura do Seminário da Indústria da Construção Civil (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

"O lugar do terminal hoje, em relação a cidade, não é muito convidativo. Se pudesse estar mais próximo da área central seria importante para alavancar o local e fazer pessoas circular pelo centro da cidade", avaliou Ariadne.

A arquiteta fez uma apresentação sobre o projeto de revitalização da região central. Ele já engloba, por exemplo, a ida do Concais para a área do cais do Valongo. O equipamento é só um dos espaços para o crescimento daquela área, como o Cargueiro Cultural (a utilização de uma embarcação que excedeu o tempo de uso em um elemento cultural), a revitalização da área de embarque das barcas de travessia entre Santos e o distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, e o uso dos antigos barracões.

Moradias e universidades

O retorno e o incentivo às moradias na área central também é vista como vital para Ariadne Daher. 

"Fomos avisados que, por muito tempo, foi proibida a construção de moradias no Centro. Na nossa avaliação, um passo muito equivocado. O Rio de Janeiro também fez isso. Talvez aquilo que tem contribuido para degradação do Centro foi essa proibição. A região ficou dependente da atividade do comércio, de dia, para sobreviver", disse a representante do escritório Jaime Lerner.

A arquiteta também falou que Santos, como um grande polo de universidades, pode instalar equipamentos na região, com o agrupamento de moradias para estudantes no local.

"Se tiver uma república bacaninha, eles vão ficar (risos)", brincou Ariadne.

Monte Serrat e Mercado

Outras áreas importantes para o projeto são o Monte Serrat e o antigo Mercado Municipal. No Monte Serrat, por exemplo, há um projeto para uma abertura maior das escadarias, que integraria diversas áreas.

Mas, o Mercado é visto como o "coração da mudança" da área central por Ariadne Daher.

"Eu sei vamos receber pancada por isso. Mas precisamos de intervenção forte para mostrar que essa área foi recuperada. O Mercado seria um espaço para coworking, incubadoras, comércio. Transformar num coração da recuperação dessa área da cidade e aproveitando a beleza cênica do lugar", analisou a arquiteta.

Roberto Clemente Santini, diretor-presidente da TV Tribuna e presidente da Associação Comercial de Santos, fez o discurso de abertura (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

Abertura do seminário

Roberto Clemente Santini, diretor-presidente da TV Tribuna e presidente da Associação Comercial de Santos (ACS), fez o discurso de abertura do seminário.

O empresário destacou a retomada dos empregos e a melhoria da economia brasileira neste ano, com a retomada do crescimento sendo um estímulo ao mercado imobiliário.

"Mais do que debater tendências e novas ideias, desejo que este seminário possa nos preparar para o novo ciclo de desenvolvimento e retomada que o setor da construção civil sempre teve na nossa região".

LEIA MAIS:
> Projeto apresenta caminhos para mudar a região central de Santos

Tudo sobre: