EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

16 de Novembro de 2019

Dener Gröhs vence duelo de duas horas no 60º A Tribuna de Tênis

Acostumados a se enfrentar no A Tribuna e nos torneios federados, ele bateu Valdenor Filho no Portuários

Em um duelo de velhos conhecidos, com direito a duas horas de duração, Dener Gröhs, do Saldanha da Gama, estreou com vitória na categoria 55-59 anos masculino do 60º Torneio A Tribuna de Tênis, na noite de quarta-feira (30). Ele derrotou Valdenor Pontes de Mendonça Filho, que jogou em casa, na Associação dos Portuários de Santos. 

Acostumados a se enfrentar no A Tribuna e nos torneios federados, Dener e Valdenor se habituaram a fazer duelos equilibrados. E as parciais de 6/4 e 7/6 a favor de Dener mostram o equilíbrio do duelo. 

“O Valdenor é um adversário tradicional, conheço ele há muitos anos. Ele joga muito bem e tem mais preparo físico que eu, que sou mais pesado. Meu primeiro serviço também estava complicado”, avaliou Gröhs, de 56 anos. 

Apesar da autocrítica, o representante comercial, que também é diretor do departamento de tênis do Saldanha da Gama, impôs o seu jogo e fechou o primeiro set em 6/4. E no segundo set, teve sangue frio para levar a decisão para o tie-break e fechar a partida. 

Dener abriu 5 a 1 no tie-break, viu o rival encostar, em 5 a 4, mas manteve o equilíbrio para fechar em 7/5. “Deu pra segurar, a gente joga há bastante tempo e vai ficando mais calmo nessas horas”, comentou. 

Duas vezes vice-campeão do A Tribuna em duplas mistas, Dener Gröhs vive a expectativa de brigar pelo título de simples em sua categoria este ano. E tem uma motivação extra. Terá, nas quartas de final, um embate contra um amigo. 

“Meu próximo jogo é contra uma pessoa que começou a jogar comigo há 30 anos, um colega meu do coração, José Ricardo Leite, também do Saldanha. Sempre quis enfrentá-lo no A Tribuna”.

Apesar de derrotado, o petroleiro aposentado Valdenor Filho estava contente com o seu desempenho em quadra, apesar de reconhecer que sentiu cansaço no final da batalha. “O jogo com o Dener é sempre duro, ele é competitivo. No final faltou físico pra mim, comecei a sentir câimbra. Mas jogo o A Tribuna há uns 10 anos e é sempre bom rever os amigos no torneio. Ele mereceu a vitória”, comentou Valdenor, demonstrando espírito esportivo e recebendo os cumprimentos de Dener.

Tudo sobre: