Tribuna do leitor - 22 de Janeiro 2021

Nesta edição, com as participações de Ademir Alonso Rodrigues, Assessoria de Imprensa da CPFL, Keiko Miyasaki Teruya, Fernando Martins Braga e Sérgio Silveira

Seguro-garantia
Há certas coisas que fogem à nossa compreensão, talvez por sermos leigos na matéria ou porque acreditamos demais que as coisas tendem a melhorar. Refiro-me a nota do Dia a Dia sobre o veto do projeto de lei do deputado estadual Arthur do Val, que torna obrigatória a contratação do seguro-garantia de execução de contratos de obras e de fornecimento de bens e serviços firmados pelo governo paulista. A justificativa para o veto do governador foi a alegação de vício de inconstitucionalidade ao invadir área da legislação federal. Já havia lido sobre esta prática adotada por países do primeiro mundo, com sucesso, onde as obras ficam "seguradas", em última análise, contra qualquer ato de corrupção por parte dos governantes e empresas contratadas. Como se vê, uma ótima opção, haja vista o que que ocorreu, principalmente, nos últimos 13 anos na governança petista. Mas, foi vetada porque invade o campo federal, como se aquilo não fizesse parte do escopo de qualquer administração! Duro de acreditar e de aceitar. Quando iremos melhorar este país?
Ademir Alonso Rodrigues - Santos

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Esclarecimento
Em relação à carta “Troca de Postes”, a CPFL Piratininga esclarece que segue as determinações da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Por isso, todas as manutenções e substituições de postes que possuem serviços compartilhados com outras empresas são programadas e essas empresas avisadas com antecedência, para que possam garantir a integridade de suas redes e o funcionamento de seus respectivos serviços. A distribuidora continuará notificando os responsáveis para que os trabalhos sejam realizados com urgência. A empresa reforça à população que nunca se aproximem e/ou toquem, de forma alguma, em cabo de energia elétrica rompido ou caído no chão. Nessas situações, é necessário que o local seja isolado e acionado o serviço emergencial pelo aplicativo “CPFL Energia” ou pelo telefone 0800 010 2570 (ligação gratuita).
Assessoria de Imprensa da CPFL

Grande contribuição
As crianças lá no céu devem ter oferecido uma ótima acolhida ao nosso amigo, dr. Paulo Sergio Andrade Silva. Para nós, ficou um grande vazio por não contarmos mais com esta pessoa inteligentíssima e com visão ampliada do mundo, idealizador de inúmeros programas em prol de nossas crianças. Por sua humildade, nunca fez alarde de seus feitos. Fui testemunha de um dos seus maiores feito: descobrir, nos anos de 1974, que a causa da desnutrição grave e mortalidade de nossas crianças era o desmame precoce. Lembro-me que, na ocasião, ele disse que não adiantaria recuperar as crianças desnutridas, porque já estavam com sequelas e que precisávamos combater a causa, incentivado a amamentação. Assim, graças a ele, Santos iniciou o Ciclo da Amamentação. Nos ensinou como era oferecer assistência humanizada aos pais e filho durante a internação. Agradecemos por toda ajuda e desejamos que Deus o acolha como um homem de bem.
Keiko Miyasaki Teruya - Santos

Retaliação
Quando um dirigente nacional fala mal de um outro país, que é um grande parceiro em negócios, mas não em ideologia, nada melhor do que demonstrar como aquele dirigente está errado. A China está retaliando, retendo os insumos para as vacinas, tanto da Fiocruz, como do Instituto Butantan. A China, inteligentemente, demonstra com esse ato quanto esse dirigente está errado. Moral da história, estamos desamparados. Nicolás Maduro usou a solidariedade, ao mandar oxigênio para Manaus, para também demostrar como esse dirigente está errado. A vida ensina que em boca fechada não entram moscas.
Fernando Martins Braga - Santos

Trem-bala
Excelente a avaliação sobre o liberalismo feita por Basílio Jafet, presidente do Secovi/SP, na edição de 21 último. A lamentar que homens como ele e o brilhante Salim Mattar, uma hora cansam e jogam a toalha, como fez este último, deixando o governo, decepcionado com a falta de comprometimento das autoridades constituídas com o país. Afinal, é duro ter que engolir uma estatal que só dá prejuízo, como a criada para implantar o trem-bala, por exemplo, previsto para começar a operar em julho do ano passado e que, por enquanto, não tem o trem, só a bala dos interesses políticos escusos.
Sérgio Silveira - Santos

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.