EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

O santista não deve odiar Gustavo Henrique

Apesar de sair de graça, zagueiro sempre fez o melhor em campo

O Flamengo – e não o jogador – meteu os pés pelas mãos ao anunciar a chegada de Gustavo Henrique. Afinal, o zagueiro tem contrato com o Santos até o próximo dia 31. Se a torcida santista quer ficar com raiva de alguém, que seja do clube carioca.

Gustavo Henrique passou 13 de seus 26 anos no Santos. Em 2019, viveu seu ápice técnico, mostrando grande futebol e atuando como capitão em vários jogos. Com o contrato prestes a terminar, era evidente que um jogador valorizado como ele não ficaria. Ou, então, pediria um salário fora da realidade, que ninguém em sã consciência pagaria. A tentativa de renovação, verdade seja dita, foi feita com atraso.

O santista mais inconformado vai lembrar que o zagueiro sofreu lesões sérias no joelho e teve amparo do Santos. Nada mais natural. É obrigação de todo clube cuidar da melhor maneira possível daqueles que estão sob contrato.

Renovar por gratidão seria um gesto nobre por parte do atleta. Contudo, Gustavo Henrique tem o direito de escolher o melhor para sua carreira, da mesma forma que o clube decide quem serve e quem não serve para seu elenco e promove contratações, renovações e dispensas.

Talvez, o que mais incomode o santista hoje é ver jogadores saindo da Vila Belmiro e indo para o Flamengo, o time da moda. De um ano para cá, Gabigol, Bruno Henrique e agora Gustavo Henrique foram para lá. E o Santos – aí sim é para se questionar – serviu de barriga de aluguel para Jean Lucas, vendido ao Lyon pelo Flamengo, e trouxe Pará. Porém, convenhamos: é quase impossível não apenas para o Santos, mas para todos os times do Brasil, à exceção do Palmeiras, concorrer com os flamenguistas no mercado. Por isso, é indispensável a todos trabalhar melhor.

Contratação de jogador nunca está livre de riscos, mas é preciso que os responsáveis tenham conhecimento profundo do assunto para não perder dinheiro, nem trazer quem não serve.

Quanto a Gustavo Henrique, a ida dele para o Flamengo tem muito a ver com a falta de boas propostas do exterior. Ele próprio admitiu que não recebeu ofertas da Europa. Sendo assim, entre ficar no Santos e ir para mercados intermediários, ele escolheu chegar como reserva no Flamengo e, com o tempo, brigar pela vaga de titular. O tempo vai dizer se a decisão foi acertada.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.