EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Novembro de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Gabigol e Bruno Henrique vão comemorar se marcarem contra o Santos?

Duelo com o Flamengo, no Rio, tem uma atração além da briga pelo título simbólico do primeiro turno

O Santos tropeçou mais uma vez na Vila Belmiro ao empatar com o Athletico-PR. Dessa forma, fica obrigado a vencer o Flamengo sábado, no Maracanã, se quiser fechar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na frente.

Mas a briga pela liderança não vai ser a única atração da partida. Para chegar à vitória, o Santos vai precisar segurar o ataque mais letal do Brasil, formado por Bruno Henrique e Gabriel. A dupla, que vem barbarizando as defesas, vestia a camisa alvinegra até o ano passado.

Em meio aos modismos do futebol atual, será que os ex-santistas vão comemorar caso marquem gols? Trata-se de uma questão aparentemente irrelevante, mas que, em tempos de redes sociais e constantes debates sobre futebol, ganha importância. Até porque, não será surpresa se muitos torcedores do Santos ficarem ofendidos ao verem dois atletas por quem tanto torceram no papel de algozes.

Para mim, não haverá desrespeito algum caso Gabigol, Bruno Henrique ou qualquer outro jogador que balance as redes faça a sua festa. Na verdade, não comemorar é um desrespeito com a torcida atual. O que não pode é haver excessos e provocações.

Gabigol sempre se disse santista. Em tese, se marcar e pedir distância dos companheiros vai ser até compreensível. A grande interrogação é Bruno Henrique. Depois de um começo fulminante no Santos, em 2017, ele sofreu demais no ano passado, com direito a uma grave lesão no olho. Quando voltou a jogar, não conseguiu mais reeditar as grandes atuações.

Na virada do ano, a maionese desandou de vez quando o presidente do Santos, José Carlos Peres, se mostrou disposto a fazer um leilão com as propostas que recebeu por Bruno Henrique. O atacante reprovou a conduta do dirigente em público e, assim que teve a primeira chance de ir embora, não pensou suas vezes.

Santos e Flamengo já decidiram um Campeonato Brasileiro, o de 1983. No sábado, decidem o título simbólico do primeiro turno de 2019. Vença quem vencer, que os protagonistas se comportem à altura do espetáculo.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.