EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

22 de Setembro de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Verde que te amo verde

Milhares de pontos na Amazônia ardem em chamas, enquanto líderes mundiais discutem quem são os responsáveis por essa agressão

Parte motivada pela época de seca, parte por ação do homem, milhares de pontos na Amazônia ardem em chamas, enquanto alguns líderes mundiais discutem - de forma infantil - quem são os responsáveis por essa agressão. Priorizam a disputa política em detrimento às ações efetivas de combate, desrespeitando diretamente a vida de quem mora na região e indiretamente a sustentabilidade de todo o planeta.

Não tem sentido eleger agora quem será futuramente conhecido como o pior gestor de meio ambiente entre os presidentes brasileiros. Surgindo ajuda, não importa olhar o partido, sistema de governo, ideal político ou a bandeira que defende. Não é hora de escolher quem pode ou não levar o balde de água. Todos juntos ainda seremos poucos para resolver a questão. Estamos falando de salvar vidas humanas, além da fauna e flora mais importantes do ecossistema do mundo.

Sim, é bom que deixemos claro que a Amazônia – dentro do território que nos pertence – é nossa. Defendo a soberania brasileira sobre ela, mas considero vital para o país e para aquela região que possamos aceitar ajuda – financeira e tecnológica – de qualquer que seja o país ou instituição, desde que possamos estancar o quanto antes esse sangramento que aflige e desconsola todo ser que habita esse planeta, independente de sexo, classe social, cor ou religião.

Que possamos acabar de vez com o fogo, de um jeito que a briga de egos e poder dê lugar ao bom senso. E que, assim, tenhamos condições de dizer um dia que isso que estamos vivendo foi simplesmente um filme ruim feito para servir apenas e tão somente como forma de lembrarmos de tempos em tempos o quanto fomos cegos e gananciosos, errando grosseiramente com o verde representado em nossa bandeira.

E que a Mãe Natureza tenha piedade de nossa ignorância, permitindo-nos a oportunidade de nos redimir e aproveitar melhor a vida, tão curta e valorosa.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.