EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

22 de Setembro de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Ponte dos Barreiros: Filho feio nunca tem pai

Ponte que liga as áreas Insular e Continental de São Vicente pode ser interditada devido às más condições de sua estrutura

Quem conhece um pouco da minha vida sabe a ligação que tenho com a Área Continental de São Vicente, por conta de meu histórico como representante de uma entidade com 56 unidades naquele espaço, pelas incontáveis missões de ajuda social que executamos junto à população dos bairros que compõem o local e, posteriormente, atuando como deputado estadual.

Hoje, os cerca de 130 mil habitantes daquela região vivem a aflição iminente de ficarem ilhados por conta do pedido de interdição feito pelo Ministério Público Estadual para a Ponte dos Barreiros, tendo em vista o péssimo estado em que se encontra. O pedido é legítimo, porque coloca em risco a população que por ela atravessa diariamente.

Questionado sobre o problema, o prefeito de São Vicente “empurrou” a responsabilidade para o DER que, brincando de batata quente, jogou para a EMTU, que sem a menor perda de tempo devolveu a responsabilidade ao prefeito. E tudo ficou do mesmo jeito: sem previsão de solução.

Sejamos claros e objetivos: não existe tempo para essa discussão.

A ponte fica em São Vicente, dentro do Estado de São Paulo. É obrigação e responsabilidade do prefeito, do governador e de todos os órgãos estaduais que tenham algum tipo de ligação com mobilidade e transportes abraçar a causa. Incluo a Agem e o Condesb para que mexam-se em busca de unir esforços e resolver a questão.

Estamos falando de centenas de milhares de pessoas. Seria desastroso e ao mesmo tempo vergonhoso se a ponte fosse interditada. E isso, caro leitor, pode acontecer a qualquer instante, caso a Justiça acate o pedido do Ministério Público.

Senhor prefeito de São Vicente e senhor governador, em nome desta população, peço que tomem providências imediatas antes que isso venha afetar pessoas simples, trabalhadoras e que, em muitos casos, confiaram seus votos aos senhores.

De homem público vestido de terno e falando bonito, mas não resolvendo as necessidades da população, o Brasil já tem seus representantes.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.