EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

21 de Agosto de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Não existe saída para a entrada?

Em meio às obras que ocorrem para a construção da Nova Entrada de Santos, vivemos mais uma catástrofe por conta das fortes chuvas

Desde que me conheço como gente, qualquer chuva maior que uma garoa provoca caos e confusão na entrada da cidade de Santos e para quem precisa de acesso à avenida Nossa Senhora de Fátima.

Em meio às obras que ocorrem para a construção da Nova Entrada de Santos, vivemos recentemente mais uma versão de um filme catástrofe por conta das fortes chuvas que caíram na Baixada Santista. Juntou-se os problemas de uma mudança de tráfego com chuvas que foram acima da média prevista. Tragédia anunciada.

Porém, é bom deixar claro, que esse é um problema existente há décadas, sempre sem solução e jamais foi tratado decentemente por tantos prefeitos que ocuparam a cadeira. Lembro, inclusive, de ter lido várias propostas de soluções mirabolantes para esse imbróglio em “planos de governo” em épocas de campanha que, após vencida a eleição, nunca saíram do papel.

E, como filho feio nunca tem pai, continuamos a ver motos, carros e ônibus flutuando, como se fosse milagre, sobre as águas sem que nenhuma autoridade competente se exponha para, ao menos, propor um prazo e proposta para uma solução. Mesmo que sejam paliativas.

Com isso, pessoas que trabalham em São Paulo ou precisam subir a Serra perdem horas de suas vidas, compromissos, paciência e o direito de ir e vir. Somos uma região que ostenta a fama de importante para o país, porém refém de chuvas. Somos um gigante presos numa frágil corrente de algodão. E isso sem falar na péssima imagem que passamos para os turistas, responsáveis por uma boa parte de nossa economia. Chega a ser indecente.

Espero que exista um plano B para que não tenhamos que viver novamente situações caóticas como essa novamente, antes das entregas previstas para a Nova Entrada de Santos. Porque depois de tudo pronto, muita gente vai aparecer como o responsável pela solução. Quer apostar?

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.