EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

18 de Outubro de 2019

Cida Coelho

É fonoaudióloga formada pela PUCSP, especialista em Voz com larga experiência na preparação de repórteres e apresentadores de televisão. Atua como consultora em Comunicação Humana ministrando palestras e treinamentos individuais para profissionais liberais, empresários, políticos, atletas profissionais, executivos e equipes de liderança. É palestrante de Media Training para porta-vozes de empresas e atua como consultora da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo em Santos, desde 1995. Acumulando os títulos de mestre e doutora, Cida também foi professora universitária durante 25 anos.

Tem um recado importante

Mensagem de uma placa em uma travessia de balsas no Nordeste chama a atenção

Recentemente, durante um período de férias no Norte do Brasil, me deparei com a placa acima. Ela estava posicionada próxima ao pedágio para a travessia de balsa entre os municípios de Filadelfia (TO) e Carolina (MA). Não há erros de ortografia, mas foi difícil entender a primeira metade da frase e praticamente impossível compreender a parte final.
 
Conseguimos fazer a travessia em segurança, mas essa mensagem truncada ficou na minha cabeça . Me fez lembrar quanto tempo gastamos, desnecessariamente, para esclarecer mal entendidos que poderiam ser evitados.  E, em tempos de comunicação via aplicativos, isso pode ser ainda pior.
 
No caso que   acabei de descrever, a mensagem é de dificil compreensão. Mas,  em outros casos pode levar a uma compreensão completamente equivocada, e criar problemas sérios. Quantos de nós ja nos pegamos em uma  situação constrangedora por termos gerado um mal entendido?  Quantos de nós ja perdemos oportunidades, porque não fomos claros ao nos comunicar?
 
O caminho da comunicação humana continua o mesmo há milênios. Mesmo assim, nós seguimos errando, na maioria das vezes por alguns dos seguintes pecados capitais:
 
1. Pressa, 
2. Foco excessivo em nós mesmos,
3. Crença de que a pessoa com quem falamos ja tem informações, que na realidade não tem
4. Falta de clareza sobre o que gostariamos de comunicar, 
5. Escolha errada do  momento ou o local  pra uma conversa importante
 
Comunicação não é o que a gente fala, mas o que o outro entende.  O desafio é fazer com que, o que está na nossa cabeça, consiga chegar da forma mais precisa a quem nos ouve. Uri Hasson, pesquisador da Universidade de  Princeton, nos Estados Unidos  mapeou a atividade cerebral de um grupo de pessoas contando uma história e de outro grupo ouvindo essa mesma história. Ele concluiu que quando a comunicação é efetiva, a atividade cerebral do contador da historia é espelhada de forma quase idêntica no cérebro de quem ouve a história. Esse é nosso grande desafio, na vida pessoal e no trabalho. Estar atento a como conversamos com as pessoas ao nosso redor pode facilitar o estreitamento de laços, e minimizar desconfortos. Então, da próxima vez que tiver que  passar um recado importante, fique atento:
 
Se a comunicação for presencial:
 
1. Escolha o momento e o local apropriado
2. Estabeleça um bom contato de olhos
3. Ouça com atenção e espere o momento certo para falar
4. Analise a pessoa com quem você vai falar para que a sua fala se encaixe nas referências dela.
5. Não parta do principio que as pessoas deveriam saber o que você está pensando ou sentindo
6. Não misture assuntos. Mantenha o foco apenas no  recado principal
7. Fale com firmeza sem ser rude.  Articule bem as palavras
8. Finalize, demonstrando com clareza e objetividade,  o que você precisa, e em que prazo.
 
 Se a comunicação for por mensagem escrita:
 
1. Escolha cuidadosamente as palavras para evitar mal entendidos ou ser interpretado como grosseiro.
2. Sempre que possível, inclua o nome da pessoa com quem fala, antes do bom dia ou boa tarde.
3. Evite usar o padrão todas as letras maiúsculas, pois impactam agressivamente como se você estivesse gritando.
4. Evite ironia e qualquer observação que não gere compreensão imediata.
5. Seja claro e objetivo no que deseja.
6. Prefira as formas afirmativas e evite negativas:  “posso receber você aqui na próxima quinta”  é melhor que “ não posso te receber antes de quinta”
 
Por fim, duas dicas que exigirão de você, maturidade e autocontrole: Jamais trate de assuntos importantes se estiver de “cabeça quente”  e  não use a comunicação pra transferir a “batata quente” para o outro e se livrar do problema.
 
Uma comunicação clara melhora nossas relações pessoais e profissionais e aumentam nossas chances de conseguir o que desejamos.
Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.