EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

7 de Agosto de 2020

Cida Coelho

É fonoaudióloga formada pela PUCSP, especialista em Voz com larga experiência na preparação de repórteres e apresentadores de televisão. Atua como consultora em Comunicação Humana ministrando palestras e treinamentos individuais para profissionais liberais, empresários, políticos, atletas profissionais, executivos e equipes de liderança. É palestrante de Media Training para porta-vozes de empresas e atua como consultora da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo em Santos, desde 1995. Acumulando os títulos de mestre e doutora, Cida também foi professora universitária durante 25 anos.

Quem fala mais: o homem ou a mulher?

A fama de tagarela persegue o sexo feminino. Mas, a mulher realmente fala mais do que os homens?

O assunto é polêmico. A fama de tagarela persegue o sexo feminino. Mas, a mulher realmente fala mais do que o homem?

As pesquisas disponíveis divergem nos resultados e, muitas, tem metodologias questionáveis. Mas uma das pesquisas mais citadas foi realizada na Universidade de Maryland e os resultados apontam que as mulheres falam, em média, 20 mil palavras por dia, enquanto os homens, apenas 7 mil!

Imagine o que isso significa! Haja saliva!

Por conta disso, não é incomum que algumas pessoas tenham problemas com a voz. Mas, quando se preocupar? Em primeiro lugar, é importante saber que não é normal ser rouco. Você deve começar a se preocupar com sua voz se perceber mudanças no tom ou na qualidade da voz por mais de quinze dias, e ainda se sentir fadiga vocal após um período de uso.

Você deve ficar atento, também, a presença de pigarro, tosse seca, dor, ardor ou sensação de corpo estranho ou bolo na garganta. Todos esses sintomas podem acompanhar um quadro inflamatório viral ou bacteriano. Neste caso, o médico deve ser consultado para que possa indicar o melhor tratamento clínico.

Mas, muitas vezes, esses sinais são indicativos de desgaste contínuo do aparelho fonador por causa da quantidade excessiva de uso ou do uso em condições inadequadas da voz. E isso pode acontecer tanto com homens quanto com mulheres. Mas é muito mais comum entre as pessoas que falam muito e que dependem profissionalmente da voz.  Aí se enquadram os professores, cantores, vendedores, locutores entre outros.

O que fazer?

Em primeiro lugar, verifique como anda a qualidade de seu sono e de sua alimentação. Todos nós conhecemos os efeitos negativos da privação do sono e da alimentação sobre o nosso estado físico e mental. Privação de sono é um fator de stress importante. Além disso, somente um corpo descansado e nutrido é capaz de emitir uma voz vigorosa e saudável.

Respeitados esses dois cuidados básicos, você garante uma condição básica mínima para ter uma boa voz. Mas se quiser aumentar a longevidade e a qualidade de sua voz, preste atenção nessas outras dicas, fáceis de serem seguidas no nosso dia-a-dia:

HIDRATAÇÃO: procure beber dois litros de água por dia. A água disponível no seu corpo mantem a lubrificação de todo o aparelho fonador.

ALIMENTAÇÃO: Procure se alimentar em horários regulares e de preferência a frutas (em especial a maçã, que tem uma propriedade adstringente sobre a laringe) e a verduras. Cuidado com comidas pesadas e com excesso de condimentos. Eles podem favorecer o aparecimento de problemas nas pregas vocais de origem gástrica.

VESTUÁRIO: De preferência a roupas leves, folgadas e de tecido natural. Elas são mais confortáveis e permitem melhor expansão da musculatura responsável pela respiração.

ATIVIDADE FÍSICA: Valorize a prática de atividades físicas. Elas permitirão melhor condicionamento global do seu corpo alem de servirem como uma boa estratégia anti-stress. Prefira os esportes que promovam alongamento da musculatura, como a natação, a ioga ou a caminhada. Se você já pratica outros esportes, evite falar durante a execução de movimentos bruscos dos braços (como acontece no boxe, na musculação e no tênis).

AMBIENTE: Se você não puder mudar o ambiente a sua volta, procure ficar alerta para não se prejudicar demais com algumas “armadilhas”.

1. Fuja do foco do ar condicionado ou ventilador. Eles provocam um ressecamento excessivo da mucosa da boca e da faringe, alem de facilitarem o aparecimento de inflamações e infecções.

2. Afaste-se do ruído quando tiver que falar com alguém, abaixe o volume da televisão ou radio se estiver por perto.

3. Pense bem se vale a pena enfrentar um ambiente hostil para se comunicar. Se houver muitas pessoas falando, música alta e fumaça, avalie a possibilidade de afastar-se um pouco. Se não for possível, procure aproximar-se de seu interlocutor para não ter que falar muito alto e para oferecer a pista visual do seu rosto e de sua boca enquanto fala.

Independentemente de sermos homens ou mulheres e de quantas palavras nós falamos por dia, ter uma voz saudável nos permite nos aproximar de mais pessoas e sermos mais felizes.  A vida fica mais leve quando nos comunicamos bem!

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.