Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

PODCAST: Baixada Santista pode ser favorecida com a retomada do turismo no pós-pandemia

Podcast 'Baixada em Pauta' traz entrevista sobre o assunto e as principais expectativas para o setor.

Com a chegada da temporada do verão, muita gente tem se perguntado se haverá uma retomada do turismo regional entre os meses de dezembro e fevereiro. Enquanto a pandemia do 'nem tão novo' coronavírus segue 'bagunçando' a economia e tirando a vida de milhares de brasileiros, a maior parte da população segue na expectativa da chegada oficial de uma vacina.

Confira na íntegra o episódio #1 do Baixada em Pauta, 'Retomada do turismo regional no pós-pandemia':

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

A retomada do turismo regional é tema do primeiro episódio do podcast 'Baixada em Pauta'. Para falar sobre o assunto, convidamos Leonardo Carvalho, presidente do Santos Convention & Visitors Bureau, órgão responsável pelo lançamento da marca 'Visite Santos'. Leonardo, inclusive, mostrou confiança no setor, apesar de muita gente falar em uma possível segunda onda da doença.

"A inauguração do novo Centro de Convenções em Santos é uma novidade muito esperada. Isso gerará muitos empregos imediatos para a região. Muitas empresas irão produzir eventos no local, que será muito movimentado, assim como os produtores culturais irão realizar shows e até mesmo teatro no Centro, ajudando na retomada econômica da cidade", afirma Carvalho.

Segundo o presidente, a pandemia acabou gerando, sem querer, uma oportunidade única para a Baixada Santista. "A gente sabe que as pessoas estão com medo de fazer viagens de avião. Então, com isso, temos um potencial de 15 milhões de habitantes, próximos da nossa região, que é um público foco pra gente. Os hotéis, pousadas, restaurantes e bares precisam cuidar da segurança dos seus equipamentos e dos seus espaços. Os turistas precisam se sentir seguros", explica.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.