Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Pastor é preso após ser denunciado por abusar de vários fiéis na Baixada Santista

Mário Sérgio Ferreira da Silva, de 35 anos, negou ter cometido os crimes.

O pastor evangélico Mário Sérgio Ferreira da Silva, de 35 anos, foi preso, em Peruíbe, por suspeita de abusar sexualmente de vários jovens que frequentavam suas igrejas na cidade. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), pelo menos quatro pessoas procuraram a polícia para fazer denúncias. Após solicitação da autoridade policial, a Justiça decretou a prisão preventiva do pastor.

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

O G1 conversou com a mãe de uma das vítimas com a condição de anonimato. "Meu filho tem 22 anos e convive com a deficiência intelectual e autismo. Jamais imaginei que isso poderia acontecer. O pastor era muito simpático. Eu confiava que era um local seguro", desabafa.

Segundo o delegado Edmilson Matos, que conduz a investigação, o pastor tinha um endereço em Itanhaém, onde foram feitas diligências para encontrá-lo após a apresentação das denúncias. "Ele não foi encontrado. As investigações continuaram no sentido de localizá-lo. O cerco acabou se fechando. É uma pessoa que talvez não tivesse muita alternativa, razão pela qual, com o cerco policial, acredito que ele tenha se entregado", explica Matos.

O 1º DP de Peruíbe instaurou inquérito policial e investigou os supostos abusos sexuais cometidos pelo pastor. Segundo o delegado, o inquérito foi concluído como estupro de vulnerável com relação à vítima com deficiência intelectual e crime de violação sexual mediante fraude com relação às outras três vítimas. À polícia, o pastor negou os crimes. Até a publicação deste texto, a defesa do pastor ainda não havia se pronunciado.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.