Baixada Santista receberá investimentos de R$ 6,6 bilhões em terminais de uso privado

Governo Federal autorizou dois TUPs, que movimentarão carga geral e granéis sólidos e líquidos

Por: Ágata Luz  -  01/07/22  -  19:57
Os dois TUPs ficarão na Rodovia Cônego Domênico Rangoni
Os dois TUPs ficarão na Rodovia Cônego Domênico Rangoni   Foto: Alberto Marques/Arquivo/AT

Com investimentos de R$ 6,6 bilhões, a Baixada Santista terá dois novos terminais de uso privado (TUPs). De acordo com o Ministério da Infraestrutura, os empreendimentos vão estender a oferta de serviços e a capacidade de armazenamento de cargas na região, ampliando a competitividade do comércio brasileiro no cenário internacional.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Os detalhes dos contratos foram divulgados ontem, para A Tribuna, pela pasta. Os dois TUPs ficarão na Rodovia Cônego Domênico Rangoni e movimentarão carga geral, além de granéis líquidos e sólidos. Segundo o Governo Federal, os empreendimentos serão opções para a cadeia logística, aumentando a competitividade e a concorrência, reduzindo custos operacionais.


Detalhes

Um dos TUPs é o da Empresa Brasileira de Terminais e Armazéns Gerais (EBT), que sairá do papel em até cinco anos na região do Sítio Santa Rita, que pertence a Santos, exigindo R$ 3,6 bilhões de investimentos.


Esse terminal contará com berços de atracação, acessos ferroviário e rodoviário, interlição terminal-berços e uma retroárea com sete armazéns para granéis sólidos, 28 tanques para granéis líquidos, um armazém de carga geral, pera ferroviária múltipla, viaduto de acesso rodoviário e estacionamento com capacidade para atender 500 caminhões por dia.


Em nota à Reportagem, a empresa informou que está trabalhando para cumprir o objetivo dentro do cronograma idealizado. “Alcançamos mais uma etapa importante para a realização deste projeto, que a partir de agora, nos permitirá desenvolver e constituir as parcerias necessárias que já haviam sido identificadas”, diz o comunicado.


O outro TUP será o Terminal Portuário Logístico (TPL), com previsão de instalação em até três anos no Sítio Santa Cruz, também em Santos, com investimento de R$ 2,9 bilhões. A Tribuna não conseguiu contato com os responsáveis pelo TPL.


Outros

Além dos dois empreendimentos em Santos, o Ministério da Infraestrutura divulgou na quarta-feira a assinatura de outros quatro TUPs, nos portos de Ponta de Pedras (PA), Santarém (PA), Manaus (AM) e Paranaguá (PR).


Somente com esses seis contratos, o Governo garantiu R$ 10,470 bilhões em investimentos privados. Para o ministro de Infraestrutura, Marcelo Sampaio, em nota, os TUPs servem como referência de modernização para portos organizados, pois são indutores de desenvolvimento.


“Os terminais de uso privado têm boas práticas e exemplos de gestão que devem ser seguidos. Esses R$ 10 bilhões vão tornar os portos mais modernos e produtivos, e quem ganha com isso é a cadeia logística, com mais competição e eficiência nas operações portuárias”.


Logo A Tribuna