EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

25 de Abril de 2019

Ex-presidente Michel Temer é preso

Emedebista foi detido pela força-tarefa da Operação Lava Jato, em São Paulo

O ex-presidente da República Michel Temer (MDB) foi preso, na manhã desta quinta-feira (21), em São Paulo. A prisão foi feita pela força-tarefa da Operação Lava Jato. O ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) também foi preso. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Temer será levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. 

Segundo divulgado pela TV Globo, a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, desde quarta-feira (20), sem ter sucesso, o que atrasou a operação prevista para esta quinta-feira. 

Ainda segundo informações da emissora, a prisão teria como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo íntimo do ex-presidente), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento de Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3. Além deste inquérito, Temer responde a nove processos.

Em nota, o MDB lamentou a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte de Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB disse ainda que espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa.

Michel Temer (MDB) foi o 37º presidente da República do Brasil. Ele assumiu o cargo em 31 de agosto de 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff (PT), e ficou até o final do mandato, encerrado em dezembro do ano passado. Temer começou a carreira pública nos anos 1960, quando assumiu cargos no governo estadual de São Paulo. No estado, atuou nas funções de secretário da Segurança Pública e procurador-geral.

Foi deputado constituinte e, anos depois, eleito deputado federal quatro vezes consecutivas, tendo sido presidente da Câmara em duas oportunidades.