EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

21 de Janeiro de 2019

Polícia Civil faz buscas por delegado desaparecido na Baixada Santista

Paulo De La Rosa, de 55 anos, não é visto desde a noite de segunda-feira (7)

Delegado de polícia aposentado, escritor e membro da Academia Santista de Letras, Paulo De La Rosa, de 55 anos, está desaparecido desde às 20h de segunda-feira (7), quando saiu de casa levando a sua pistola calibre 7.65 e R$ 200.

“Ele vestia calça jeans e camiseta lilás. Estava calçando botas marrons e não levou documentos. Disse que participaria de jantar de confraternização com amigos na Riviera de São Lourenço, em Bertioga, mas isso não procede”, conta Cristiane Silva Andrade De La Rosa, de 49 anos, mulher do delegado.

Casada com De La Rosa desde 2012, Cristiane conversou por telefone com o suposto promotor do jantar. “Ele mora em Rio Claro [SP] e está naquela cidade. O evento só ocorrerá no fim do mês, mas o Paulo, antes do Natal, já anunciava que iria para a tal confraternização na Riviera, no dia 7. Ele inventou a situação”.

A mulher registrou o desaparecimento no 7º Distrito Policial (Gonzaga). O distrito fica próximo ao apartamento onde De La Rosa mora, na Avenida Ana Costa. Ele estaria “depressivo”, conforme Cristiane. Por isso, ela pede que informações sobre o paradeiro do delegado sejam imediatamente repassadas à polícia.

Candidato a deputado federal em 2018 pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN), De La Rosa, não se elegeu. Ele adotou o nome político de Delegado Poeta e se aposentou da Polícia Civil paulista por problemas de saúde, como síndrome do pânico e redução da mobilidade na mão direita devido a um tiro no braço, ainda segundo a mulher.