EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

17 de Outubro de 2019

Especialistas falam sobre os perigos do inchaço nas pernas

Problema pode ter relação com funcionamento de rins, coração ou fígado

Um inchaço nas pernas pode não receber a devida atenção nem preocupar, mas médicos alertam se tratar de um sintoma importante a ser averiguado para evitar danos maiores à saúde, pois pode estar relacionado ao mau funcionamento dos rins, coração ou fígado, inflamações acarretadas por doenças reumatológicas, problemas circulatórios e retenção de líquidos.

Segundo o coordenador do Pronto Atendimento da Unimed de Santos e médico especialista em Clínica Médica e Urgência e Emergência, José Luiz Vieira, todo inchaço nas pernas requer um diagnóstico precoce.

“Colocar as pernas para cima ajuda, mas não fecha o diagnóstico e ela vai voltar a inchar. A melhor conduta é o paciente procurar atendimento, seja em pronto-socorro, ambulatório ou com um médico de confiança para saber o motivo do sintoma”.

Vieira ressalta que, muitas vezes, não é possível fechar um diagnóstico no PS, devido às especificidades dos problemas, mas o paciente pode sair com orientação e encaminhamento ao especialista. “Sempre temos o primeiro sinal de alerta, neste caso o inchaço”. 

Principais causas

Os edemas nas pernas estão ligados principalmente a problemas vasculares, cardíacos, renais, do fígado, varizes, trombose, vasodilatação pelo calor, questões hormonais, traumas musculares, retenção de líquido e inflamações acarretadas por doenças reumatológicas.

Os médicos lembram que a postura também pode implicar no inchaço das pernas, como passar muito tempo sentado ou em pé. A orientação é sempre movimentar e exercitar os membros inferiores para melhor circulação sanguínea. 

A médica vascular Claudia Barga explica que os problemas mais graves são os circulatórios. “Como a trombose, uma doença de fácil tratamento, mas que se não for cuidada logo pode ser fatal”.

Fatores de risco

Claudia explica que os pacientes com histórico de complicações de circulação sanguínea na família ou que tenham problemas circulatórios preexistentes, como as varizes, devem ficar ainda mais atentos a eventuais edemas nas penas. Ela ressalta que os problemas vasculares costumam ser mais frequentes dos 25 aos 65 anos. Entre os fatores de risco, estão obesidade, sedentarismo, gestação, anticoncepcionais e tabagismo.

Como evitar? 

A médica nefrologista Ligia de Fátima Costa explica que sempre é bom fazer exames para saber a causa do edema, mas alerta que outras medidas podem ser adotadas para reduzir ou evitar os inchaços. Muitas dessas dicas passam por uma reeducação alimentar e física.

“Evitar o consumo excessivo de sal, alimentos em conserva, embutidos, refrigerantes – que têm uma quantidade grande de sódio – e águas comercializadas que também têm uma variedade muito grande na concentração de sódio, além de olhar sempre o rótulo dos alimentos e realizar atividades físicas”.

Possíveis causas

Acúmulo de líquido: ficar muito tempo em uma mesma posição, seja sentado ou em pé, é um fator que contribui para o inchaço e dor nas pernas, devido à dificuldade de circulação do sangue. Além disso, a gravidez (maior quantidade de sangue no corpo) e o envelhecimento são outros fatores.

Calor: em dias quentes, como no verão, as artérias ficam cheias de sangue, causando inchaços. Além disso, os rins têm que trabalhar mais para eliminar os líquidos ingeridos durante o dia. Durante esse período, deve-se aumentar os cuidados com o consumo de sódio.

Inflamação: a inflamação na parede das veias, chamada de flebite, as enrijece e faz o sangue coagular. Em casos mais graves, o paciente sente dores e tem a sensação de peso nos membros inferiores, além da pele avermelhada e quente, podendo ter febre.

Coração: o sintoma de pernas inchadas também pode ser reflexo de alguma doença cardíaca. O bloqueio de vasos sanguíneos pelo excesso de gordura no sangue, por exemplo, faz com que a circulação seja insuficiente e os órgãos não recebam nutrientes e oxigênio de forma adequada.

Fígado: alterações do fígado também podem causar o problema, devido à diminuição da quantidade de albumina no sangue, uma proteína que ajuda a manter o órgão estável. 

Trombose: é uma doença que tem várias causas, desde a predisposição genética até o uso de anticoncepcionais. O sangue coagula e faz com que sua circulação seja prejudicada. Entre os problemas, as pernas incham e podem ficar arroxeadas.

Tudo sobre: