EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

17 de Julho de 2019

Governo britânico é pressionado para extraditar Assange para Suécia

Há uma preocupação crescente de que, caso não ocorra a extradição, australiano não possa ser investigado pela justiça sueca de supostos abusos sexuais

Parlamentares britânicos estão pressionando o governo para garantir a extradição do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para a Suécia. Assange foi preso na última quinta-feira (11) pela polícia do Reino Unido, na Embaixada do Equador em Londres. Há uma preocupação crescente de que, caso não ocorra a extradição, Assange não possa ser investigado pela justiça sueca de supostos abusos sexuais.

Mais de 70 parlamentares britânicos assinaram uma carta pedindo ao Secretário Sajid Javid "fazer tudo o que puder para garantir que Julian Assange possa ser extraditado para a Suécia". A investigação sobre os casos de abuso sexual levou Assange a buscar asilo político na embaixada do Equador.

O parlamentar do Partido Conservador, Alistair Burt, ex-ministro do Exterior, disse que é "muito perturbador" ver as alegações de abuso sexual minimizadas. Ele acrescentou ainda que o testemunho das duas mulheres torna "essencial" que Assange enfrente a justiça e seja condenado.

Assange nega as acusações de abuso sexual, que ele afirma serem motivadas politicamente. Ele está preso em Belmarsh, no sudeste de Londres. Os Estados Unidos também sinalizaram que podem solicitar a extradição de Assange, por acusações de conspiração. Fonte: Associated Press.