Supersticioso, Cuca adota 'uniforme da sorte' em sequência invicta do Santos

Desde o triunfo contra o Ceará, fora de casa, o treinador tem repetido a mesma combinação de roupas

Um dos responsáveis pela invencibilidade de dez jogos do Santos na temporada – considerando o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores –, o técnico Cuca tem superado desfalques e problemas administrativos do clube. Além da experiência e do conhecimento de futebol, o treinador recorre à superstição.

Desde a vitória sobre o Ceará, por 1 a 0, Cuca usa a mesma combinação de roupas: calça jeans preta e camisa polo da mesma cor. Já são nove partidas de invencibilidade com o “uniforme”. No empate em 2 a 2 com o Vasco, que antecedeu o duelo com os cearenses e marcou o começo da série invicta, o técnico vestia uma calça azul. 

A prática é semelhante àquela que o treinador adotou enquanto era técnico do Palmeiras, em 2016, e usou uma calça vinho na maior parte do Brasileirão. Coincidentemente, o Verdão foi campeão e a peça virou moda entre os torcedores alviverdes.

Na vitória sobre o Goiás, por 3 a 2, Cuca não abriu mão do traje que tem trazido sorte nos últimos jogos 

Depois da vitória sobre o Ceará, a vestimenta foi repetida no triunfo por 3 a 1 diante do Atlético-MG e no empate por 2 a 2 com o São Paulo, ambos na Vila Belmiro.

No empate sem gols com o Olimpia, em casa, pela Libertadores, Cuca manteve a combinação, mas adicionou um casaco branco do Santos, em razão da baixa temperatura.

Contra o Botafogo, no Rio de Janeiro, no empate em 0 a 0, o técnico do Peixe trabalhou com a combinação da sorte, mas precisou vestir um colete amarelo por determinação da CBF.

Na vitória por 2 a 1 sobre o Delfín, no Equador, Cuca manteve o traje, mas com um casaco preto do clube.

Depois disso, no empate com o Fortaleza por 1 a 1, em casa, e nos confrontos contra Olimpia e Goiás, ambos fora de casa, e que terminaram com o triunfo por 3 a 2, o treinador excluiu coletes e casacos e foi a campo com as peças da sorte.

Tudo sobre: