EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

8 de Agosto de 2020

Santos oferece imóvel de R$ 1 milhão por dívida de Vladimir Hernandez

Sem receber pela intermediação do negócio feito em 2017, empresário cobra o Peixe na Justiça

Acionado na Justiça pela empresa responsável por intermediar a contratação do meia-atacante Vladimir Hernandez, em 2017, o Santos ofereceu, na noite desta segunda-feira (27), a penhora de um imóvel do clube avaliado em R$ 1 milhão. 

Na sua alegação, à qual ATribuna.com.br teve acesso, o Peixe pede ao juiz da 1ª Vara Cível da Cidade, Paulo Sérgio Mangerona, para não bloquear as contas bancárias do clube, pois isso traria um enorme prejuízo ao alvinegro. 

"Ao todo, são 459 (quatrocentos e cinquenta e nove) funcionários, uma comunidade significativa da cidade de Santos, cujos salários somam, sem reduções, R$ 6.200.000,00 (seis milhões e duzentos mil reais)" se posicionou o time da Vila Belmiro na sua manifestação à Justiça. 

O valor do imóvel oferecido, situado na Rua Tiradentes, no bairro da Vila Belmiro e que tem um terreno de 400m², é quase o dobro do que Luis Augusto Carvalho, dono da empresa, cobra. 

Representado pelo advogado Bruno Minioli, o intermediário pede o pagamento de R$ 560.330,00 conforme acertado na época, além de juros e correções, por ter viabilizado a contratação de Vladimir Hernandez, que, na ocasião, defendia o Junior Barranquilla, da Colômbia. 

Caso o juiz aceite o imóvel como garantia de uma possível execução, o Santos poderá apresentar a sua defesa em relação a cobrança judicial. Se a oferta não for aceita, o Peixe poderá recorrer ou levantar o valor e depositá-lo em juízo.

Diante de uma derrota do Departamento Jurídico do Peixe no processo, esse imóvel pode vir a ser leiloado e parte do dinheiro usada para indenizar o intermediário. No entanto, caso os advogados alvinegros vençam a ação ou façam um acordo com o cobrador, o juiz emitirá um ofício para tirar o bloqueio do imóvel.

Processo

Luis Augusto Carvalho recorreu à Justiça contra o Santos por ter assinado um contrato em 19 de janeiro de 2017 para a prestação de serviços de intermediação na contratação de Hernandez. 

No acordo, ficou estipulado que o Santos pagaria ao intermediário R$ 560.330,00, à vista, até o dia 31 de janeiro daquele ano. 

Apesar do contrato, a empresa alega que o clube "não efetuou o pagamento de qualquer quantia", até o hoje.

Tudo sobre: