EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

11 de Dezembro de 2019

Santos não teme perder zagueiro da base em fim de contrato

Presidente afirma que o Peixe não irá desembolsar grandes valores para renovar contratos com jovens da base

O fato de o zagueiro Kaique Rocha, de 18 anos, poder assinar um pré-contrato com outro clube a partir do mês que vem, pois o seu vínculo com o Santos termina em fevereiro de 2020, não tem deixado o presidente José Carlos Peres preocupado. 

O mandatário alvinegro garante que não quer vender o defensor e, por isso, recusou a proposta de 1 milhão de euros (pouco mais de R$ 4 milhões) apresentada no início dessa semana pela Sampdoria (Itália). 

"Kaique tem contrato vencendo em janeiro, pode fazer pré-contrato, mas temos direito à primeira renovação. A CBF já foi comunicada. Eles (o jogador e os seus representantes) viajaram, pois dei 10 dias de permissão. Não estou vendendo o jogador. É um garoto de projeção e quero renovar. Chegaram com uma propasta baixa e queremos parte dos direitos econômicos. Conversei com Sampaoli, ele é rápido, bom pelo alto. Jogador de futuro, mas nunca vestiu a camisa profissional", disse o cartola. 

O presidente também fez questão de falar sobre a situação do volante Sandry, que também está em fase de negociação para renovar o seu vínculo com o time da Vila Belmiro. Peres deixou claro que não irá cometer loucuras financeiras para manter o jovem que já foi usado pelo técnico Jorge Sampaoli. 

"Depende só dele e do estafe. Não podemos estragar a base extrapolando os valores. Renovamos com o Kaio Jorge numa situação melhor financeiramente e agora todos querem desse valor para cima. Não iremos cometer o erro duas vezes. Robinho e Diego recebiam R$ 1.500 por mês, depois foram para 15 mil. Há tempo de plantar, de regar e de colher. Os pais jogam os valores lá em cima. É impossível dar três vezes mais do que os times da Série B. Temos que tomar grande cuidado. Se colocar para jogar, depois não renovamos mais", concluiu o presidente.

Tudo sobre: