EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Santos mantém otimismo sobre renovação de Yuri Alberto

Peixe apresentou proposta para um novo vínculo e aguarda um posicionamento dos representantes do atacante

Enquanto mantém contato com o atacante Ricardo Oliveira, fora dos planos de Jorge Sampaoli, técnico do Atlético-MG, o Santos segue à espera de um posicionamento dos representantes de Yuri Alberto sobre a proposta de renovação de contrato. O presidente José Carlos Peres, particularmente, está otimista para a assinatura de um novo acordo.

Yuri Alberto, de 19 anos, tem vínculo até 31 de julho e, se um novo contrato não for assinado, o atleta poderá se transferir de graça a partir desta data. 

Em contato com ATribuna.com.br, o mandatário alvinegro disse que, apesar da demora para uma definição, não desistiu da permanência do prata da casa. 

“Sim (acredito na permanência). Está sendo negociado pelo William Thomas (diretor de futebol) e sua equipe”, disse Peres. 
Os representante de Yuri, contudo, são mais cautelosos. Segundo eles, o futuro do jogador segue sob análise, sem qualquer novidade recente. 

Final de maio

No final do mês passado, o time da Vila Belmiro apresentou a nova proposta aos empresários do atleta e encaminhou a oferta à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e à Federação Paulista de Futebol (FPF).

O encaminhamento da proposta às duas entidades foi feito porque o Santos tem preferência na renovação do vínculo, uma vez que o contrato que terminará no dia 31 de julho é o primeiro do atacante como jogador profissional. 

De acordo com a Lei Pelé, os clubes brasileiros formadores têm a preferência na renovação do primeiro acordo profissional diante de propostas iguais.  Ou seja, se um outro clube do futebol nacional propuser um contrato idêntico ao do Santos para Yuri Alberto, o time da Vila Belmiro tem preferência. 

Porém, apesar de tal preferência, a permanência de Yuri Alberto na Vila Belmiro é incerta. Caso o jogador receba proposta de um clube do exterior idêntica à feita pelo Santos, a cláusula da Lei Pelé perde o seu valor, pois esse dispositivo não tem amparo da Fifa.

Tudo sobre: