É dia de Rei! Maior de todos os tempos, Pelé celebra 80 anos

Edson Arantes do Nascimento completa 80 anos de idade, e o mundo presta reverência ao maior esportista de todos

Hoje não é uma sexta-feira qualquer. Hoje é dia do aniversário de alguém que transformou a história do esporte – e da humanidade – para sempre. Edson Arantes do Nascimento completa 80 anos de idade, e o mundo presta reverência ao maior esportista de todos.

>>> PELÉ OU MARADONA: QUEM É MELHOR?

Do distante ano de 1956, quando, ainda adolescente, Pelé chegou ao Santos pelas mãos do descobridor de talentos Waldemar de Brito, até hoje, quando uma aparição ou uma declaração sua ainda repercutem mundo afora, ele fez e faz história.

O Santos e a Seleção Brasileira foram, em uma primeira análise, os principais beneficiários de sua capacidade extraordinária. As maiores conquistas de ambos passaram pelos pés dele, líder inconteste da era de ouro do futebol nacional. O bicampeonato mundial do Santos e o tricampeonato da Seleção não seriam possíveis sem o talento e a genialidade daquele que eternizou a camisa 10 no futebol.

Contudo, Pelé fez mais do que conduzir Santos e Seleção Brasileira a momentos inigualáveis de glória. O Rei foi responsável pela alegria de todos aqueles que gostam de esporte. O talento, a técnica, a garra e a capacidade de surpreender renderam títulos, 1.282 gols e a admiração de todos, inclusive dos adversários. Na verdade, até quem não se interessa por esporte compreende o tamanho do legado de Pelé. Não por acaso, ele virou uma personalidade internacional, viajando o mundo e encantando os fãs ao longo das últimas décadas.

Sempre humilde e bem-humorado, além de controverso em alguns momentos, Pelé é um ídolo para todas as idades. Quem o viu jogar não esquece, e quem não teve essa chance, mas tomou conhecimento de seus feitos por vídeos, livros e reportagens, reconhece a força de sua obra. As crianças, uma preocupação na vida do Rei desde 1969, quando ele marcou o milésimo gol e pediu atenção aos pequenos, também sabem que estão diante de um verdadeiro ícone quando a imagem dele surge na TV.

Até hoje procuram um novo Pelé. Maradona e Lionel Messi, mais recentemente, foram apontados como sucessores ou até mesmo superiores. Friedenreich, Puskás e Di Stéfano no passado, idem. Porém, como dizia o escritor Carlos Drummond de Andrade, difícil não é fazer mil gols como Pelé; difícil é fazer um gol como Pelé. Além disso, os números e os feitos de cada um não deixam dúvidas sobre quem foi mais longe.

VIDA LONGA AO REI!!!

Tudo sobre: