EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

18 de Setembro de 2019

Após ser condenada à prisão por ir a jogo de futebol, iraniana ateia fogo em si e morre

Sahar Khodayari teria que cumprir sentença de seis meses por ter ido a uma partida no Irã, onde mulheres são proibidas de frequentarem estádios

No Irã, mulheres são vetadas de frequentar estádios de futebol. Por ter ido a um jogo de seu time do coração, o Esteghlal, Sahar Khodayari foi condenada a cumprir seis meses de prisão. Ela, no entanto, ateou fogo em si e morreu antes de ser julgada, segundo uma agência de notícias.

A morte trágica comoveu atletas de diversas modalidades e o mundo inteiro. Khodayari, de 30 anos, se incendiou na última semana, mas só veio a falecer nesta segunda-feira (9), não resistindo aos ferimentos. Em seu país, ficou conhecida como "garota azul" em alusão à cor do clube pelo qual torcia.

Em março, a iraniana, que era formada em Ciências da Computação, passou três noites na prisão depois de ter sido flagrada no estádio vestindo trajes masculinos e uma peruca azul, fingindo ser um homem. 

Por conta do ocorrido, o Esteghlal emitiu um comunicado oferecendo condolências à família de Khodayari. Quem também se manifestou foi  o ministro da tecnologia da informação e comunicação do Irã, Mohammad Javad Azari Jahromi, que descreveu a morte como um "incidente amargo". Já a parlamentar Parvaneh Salahshouri disse que todos eram responsáveis pela tragédia.