EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

19 de Março de 2019

José Luiz Tahan

Livreiro da Realejo, editor, ilustrador e idealizador do festival Tarrafa Literária. Nasci em Santos em 1971, comecei como livreiro na mítica Livraria Iporanga aos 18 anos. Em 2001 criei a Realejo Livros e na sequência evoluímos para sermos editores. E, em 2009, estreamos o festival Tarrafa Literária. A parte desses trabalhos todos mantenho o desenho e ilustrações na minha vida. E um futebolzinho também.

Carnaval Cult

Durante os dias de folia, leia e escreva sem moderação

Hoje é sexta de Carnaval e o leitor deve se perguntar se o livreiro e editor aqui rasga a fantasia, e respondo: - Já rasguei e nunca mais remendei, hoje prefiro os botequins com amigos e aquela combinação de livros, cinema, netflix e algum (muito!) vídeo-game com o meu caçula, Zé Miguel, de oito anos. As meninas da casa, Ana e as minhas outras duas filhas, são três no total, também não são tão carnavalescas. Então aqui vai uma pequena história de Carnaval Cult no capricho.

Vocês já ouviram falar do livro Cheiro do Ralo, do Lourenço Mutarelli?

Isso, aquele que virou filme com o Selton Mello, esse mesmo.

Sabiam que originalmente era para o livro ter sido uma HQ, uma história em quadrinhos? O  Mutarelli, um gênio do traço, estava trabalhando nisso, quando, ao ler os diálogos que seriam os balões da HQ, sentiu que dispensavam o desenho, que faziam sentido sendo texto, e com isso abortou a missão árdua de desenhar a história.

Pois saiba que esse estrondoso sucesso foi concebido, escrito, durante os dias de Momo. O livro ficou pronto em cinco dias, durante o Carnaval.

Então aí está a pequena história, e que sirva de inspiração pra gente.

Vamos criar neste Carnaval. Mãos à obra!

Sem moderação.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.