EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

19 de Maio de 2019

Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto e é comentarista da TRI FM.

39.183 brasileiros mortos de forma violenta

O projeto 'Monitor da Violência', idealizado pelo G1, trouxe, nesta sexta-feira (21), novos dados sobre o número de mortes violentas que ocorreram no Brasil. Os números comparam os nove primeiros meses deste ano com o mesmo período de 2017.

Apesar de uma redução considerável, não podemos dizer, ainda, que os resultados são animadores. No total, 39.183 pessoas foram assassinadas de Janeiro a Setembro, contra 44.733 do ano passado, o que significa uma redução de pouco mais de 12%.

Quando falamos de 'Mortes Violentas', colocamos na conta casos como homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Nestes crimes, apenas os estados de Roraima e Tocantins registraram uma taxa superior neste ano.

Em entrevista ao G1, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que os dados representam uma 'grata surpresa', mas disse também que é preciso mais tempo e reflexão para saber os motivos por trás da queda no número de mortes.

De qualquer forma, a situação ainda é tenebrosa. No Brasil, se matam mais pessoas do que países que estão em guerra. Se recortarmos apenas o Estado de São Paulo, a média de mortes violentas nos nove primeiro meses deste ano é de 284 por mês.

Para saber mais sobre o projeto 'Monitor da Violência' basta clicar neste link.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.