Empresário acusa diretor de Saúde de agressão em PS de Pedro de Toledo: 'Te quebro na porrada'

Vítima alega que estava com um acesso na veia tomando insulina quando recebeu chutes e ameaças. Unidade de Saúde nega as acusações

O empresário Valdecir Ribeiro da Silva, de 53 anos, diz ter sido agredido e ameaçado pelo diretor de Saúde Ranulfo Juliano Mariano Pereira, de Pedro de Toledo, Vale do Ribeira, enquanto passava por atendimento médico no pronto-socorro central. O caso aconteceu na manhã da última quinta-feira (25). 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Silva contou à reportagem de ATribuna.com.br que estava passando mal quando foi até o PS em busca de atendimento médico por causa da glicemia que estava alta. 

Segundo ele, por causa da demora e omissão de atendimento, começou a falar alto solicitando agilidade, prestação do serviço e solicitou a presença do superior da enfermeira que estava no local. Em seguida, foi encaminhado para atendimento médico - que o direcionou para tomar insulina.  

De acordo com o boletim de ocorrência e das informações passadas por Silva, ele já estava com o acesso na veia quando o diretor de Saúde chegou ao pronto-socorro em tom ameaçador. 

"Ele chegou gritando e me deu dois chutes, meu filho entrou na frente. [Ele dizia] vamos lá para fora que eu te quebro na porrada, você está querendo causar na cidade do meu pronto-socorro, [enquanto] eu estava com injeção, com o acesso na veia tomando insulina", afirmou o empresário. 

Na sequência, o filho do empresário acionou a polícia e, segundo ele, Pereira correu para uma porta nos fundos da unidade e saiu do local. "Ficou com medo de ser autuado em flagrante."

Questionado sobre já conhecer Pereira, o empresário afirmou que não conhecia e nem sabia quem era, mas que algumas pessoas que também estavam sendo atendidas afirmaram que ele faz isso com todo mundo.

Boletim de ocorrência

Silva resolveu levar a situação adiante, pois quer que Pedro de Toledo tenha um atendimento melhor para os munícipes, que estão jogados 'a Deus dará', segundo o empreário. "Quero mostrar que isso tem que mudar, falta atendimento humanizado, um descaso", lamentou. 

"Me senti humilhado. Você vai com um problema e volta com outro pior. O cara vem me agredir, eu com acesso na veia. Tenho uma ficha, um diagnóstico, fiquei lá o dia inteiro. Eu doente e o diretor de saúde vir me agredir e me chamar para porrada lá fora", disse o empresário. 

Ele ainda reclamou que a unidade central de pronto atendimento não funciona entre 12h e 14h, pois é o horário em que os funcionários estão almoçando. 

ATribuna.com entrou em contato com o diretor de Saúde Ranulfo Juliano Mariano Pereira, mas não obteve retorno. 

O que diz a Prefeituta

Em nota, o Departamento de Saúde da prefeitura de Pedro de Toledo afirma que Silva ameaçou os funcionários que prestavam atendimento no pronto-socorro (Confira o posicionamento completo abaixo).  

Em relação às informações sobre a falta de atendimento durante o horário de almoço, a prefeitura informou que os médicos não saem da unidade para almoçar, pois a alimentação é fornecida pelo próprio departamento aos profissionais e que eles estão de prontidão para qualquer situação de urgência e emergência. 

O que diz o Departamento de Saúde 

"Vimos por meio de esta esclarecer a quem possa interessar que na data de 25  de março de 2021 deu entrada nesta unidade de pronto atendimento o Sr. Valdecir Ribeiro da Silva 53 anos de idade, às 10:43, às 10:47 foi encaminhado à sala de classificação de risco onde o mesmo referia: mal estar do quadro geral com visão turva, inapetência, dor no corpo e boca seca. A enfermeira responsável pela classificação após ouvir do cliente suas queixas iniciou a aferição dos sinais vitais onde constatou que o mesmo apresentava um quadro de hiperglicemia com o valor superior à 455 mg/dl, de imediato o mesmo foi encaminhado a avaliação médica onde foi atendido pelo Dr. Vargas Durand CRM 190258 que após exames físicos prescreveu a medicação pertinente ao quadro e o encaminhou a sala de medicação. Na chegada à sala de medicação Sr. Valdecir Ribeiro da Silva foi recebido pela auxiliar de enfermagem R.M.D que de pronto o acomodou na sala e passou a preparar sua medicação e material de punção venosa, momento em que o mesmo passou a questionar a conduta da profissional de enfermagem sem mesmo que ela ainda houvesse aplicado qualquer medicação. A profissional após ser questionada pelo Sr. Valdecir Ribeiro da Silva em tom de voz alterado solicitou ajuda a sua companheira de trabalho técnica de enfermagem B.O.V que também passou a ser agredida verbalmente pelo Sr. Valdecir Ribeiro da Silva, toda cena presenciada por outros pacientes que se encontravam na sala, totalmente descontrolado, o mesmo passou a agredir verbalmente todos que se encontravam no local e sugestionando que teria que fazer a medicação no mesmo. Momento em que adentrou a sala o diretor de saúde do município após ouvir os ânimos exaltados e se apresentou ao paciente afim de resolver o problema onde também passou a ser ofendido pelo paciente com palavras com “aqui só tem incompetente sai fora daqui!”. Não satisfeito com as ofensas o mesmo passou a ameaçar a todos os profissionais dizendo “vocês não me conhecem, vão me conhecer escreve aí, conheço o prefeito Eliazar e vou fazer mandar todos embora!",  momento em que sua companheira junto com outro funcionário conseguiu acalma-lo e convence-lo a fazer a medicação, o mesmo passou a ser atendido e acompanhado por toda equipe até sua pronta recuperação sendo após algumas horas liberado com alta médica e orientado a procurar tratamento ambulatorial."

Tudo sobre: