EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

22 de Maio de 2019

Felipe Roma defende que terminais portuários sejam levados para a Área Continental de SV

Secretário de Comércio, Indústria e Negócios Portuários diz que buscará diálogo com a Ecovias e o estado para solucionar questão do pedágio no Humaitá

Felipe Roma quer que a Área Continental de São Vicente seja uma extensão do Porto de Santos. Vereador licenciado, ele assumiu a pasta de Comércio, Indústria e Negócios Portuários em fevereiro. Rominha, como é conhecido, falou sobre a ideia para a região na última segunda-feira (11), em entrevista ao jornal Manhã de Notícias, da Nova FM.

Segundo o secretário, a Área Continental é uma opção para expandir as operações portuárias na Baixada Santista, uma vez que a Alemoa, em Santos, na sua visão, não comporta a chegada de novos terminais. Entretanto, o titular da pasta enxerga o pedágio instalado no Km 280 da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega um entrave para essa ideia.

"Nosso único entrave é o pedágio do Humaitá. Tem um custo de R$ 7,20 por eixo. Um caminhão de sete, oito eixos terá cobrada uma quantia absurda, e a conta acaba não fechando. Queremos levar ao conhecimento do Governo do Estado e da Ecovias. Abrir o diálogo sobre a possibilidade de firmar um compromisso, por exemplo, tantos eixos, ter um valor. Ou, passando de dois eixos, só se pagar o preço pelos dois eixos. Com isso, vamos conseguir desenvolver a região da Área Continental, do Humaitá até a Gleba II, que é o local que pode comportar terminais na Área Continental", analisou Rominha.

Ainda de acordo com o secretário, terminais de contêineres seriam instalados na região da Padre Manoel da Nóbrega, onde não há ocupação urbana, uma vez que o Plano Diretor de São Vicente não permite a instalação de terminais em área urbana.

"Já há indústrias, fábricas instaladas naquela região. Já existem avanços, e queremos levar ainda mais avanços. Desenvolver mais a Área Continental, trazer autoestima para a região, e emprego. Essa é a nossa ideia", emendou o Felipe Roma.