EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

23 de Agosto de 2019

Dersa pede, e Santos muda plano viário

Ponta da Praia: mais faixas perto das balsas

A Prefeitura de Santos modificou o plano viário do projeto Nova Ponta da Praia a pedido da Dersa. As mudanças, que, segundo a Administração, já foram inseridas no projeto e serão apresentadas na próxima semana, são a criação de uma terceira faixa na saída da balsa (sentido Avenida Saldanha da Gama) e uma quarta faixa no acesso para motos a caminho de Guarujá. A próxima reunião técnica com a Dersa será no dia 17.

Na prática, além de toda a avenida que a fila da balsa ocupa hoje (três faixas), haveria mais uma exclusiva para motos, o que seria possível ampliando a via e, talvez, pegando parte do trecho hoje de retorno (sentido São Vicente). Ou seja, o Município praticamente perderia a avenida da praia a partir do Canal 7 para a Dersa, que não quis se manifestar a respeito.

A Tribuna apurou que a estatal também pediu nova sinalização, sobretudo de acesso para ciclistas. O vereador Sadao Nakai (PSDB), que preside a Comissão Especial de Vereadores (CEV) criada para discutir os impactos provocados pela travessia e outros temas relacionados ao viário da Ponta da Praia, critica a proposta da Dersa.

“Quando a Prefeitura mudou o trecho entre a (Avenida) General San Martin (Canal 7) e a balsa, já foi um absurdo. A Cidade não podia ter perdido esse espaço, pois trata-se de uma operação comercial da Dersa, de responsabilidade dela. Agora, com esse pedido, a Cidade pode perder ainda mais espaço para a operação da estatal”, diz Nakai.

Para o parlamentar, “enquanto o sistema de travessia não funcionar adequadamente, o Município pode dar todas as ruas e a situação não será resolvida. A Dersa pede mais do que oferece”.

Em ofício encaminhado à Dersa, Nakai pede garantia de reserva orçamentária para a renovação dos motores das embarcações e agilidade na manutenção. Quer, ainda, o envio, à Câmara, de diagnóstico das embarcações e do cronograma de manutenção.

O vereador solicita também a suspensão do serviço Hora Marcada até que todas as embarcações estejam recuperadas, comunicação do tempo de fila por meio de painéis eletrônicos espalhados na orla e regulamentação do embarque prioritário com base em leis federais.

O projeto

As reformulações da Ponta da Praia incluem um novo Mercado de Peixes, Centro de Convenções e remodelações viária e urbanística.

Toda a obra, avaliada em R$ 130 milhões, é bancada pela iniciativa privada (Grupo Mendes), como contrapartida ao Município. A previsão de término é em julho de 2020.