EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

17 de Julho de 2019

Tarifa de ônibus será reajustada de forma escalonada em Mongaguá

Veículos passarão a contar com ar-condicionado e wi-fi

A empresa Ação Transportes e Turismo Ltda. - aberta durante a administração do prefeito interino Rodrigo Cardoso Biagioni, o Rodrigo Casabranca -, atendeu a solicitação do prefeito Márcio Melo Gomes, o Márcio Cabeça, e vai adiar a cobrança de R$ 3,80 na tarifa de ônibus.

A decisão foi anunciada na última quinta-feira (31) pelos diretores da empresa após reunião no gabinete do chefe do Executivo. Os executivos também se comprometeram a promover melhorias nos veículos, como a implantação de wi-fi, ar-condicionado e aplicativo de localização dos carros para os usuários acompanharem, em tempo real, o percurso das linhas.

Conforme o acordo firmado entre a Ação e a Prefeitura, em princípio a passagem irá para R$ 2,90 a partir da zero hora do próximo dia 11 de fevereiro. Em julho, a tarifa será reajustada para R$ 3,30. Já em outubro passará a R$ 3,80, valor a que se chegou ao final do processo licitatório.

A empresa já opera na cidade por meio de contrato emergencial, que tem o prazo de vencimento na próxima segunda-feira (4). As medidas foram anunciadas em caráter providencial, pelo receio do prefeito Márcio de que a cidade pudesse ficar sem transporte.

“Discutimos muito a possibilidade de não aumentar o valor da tarifa. Mas a empresa venceu a licitação com este valor e estava irredutível. Então, conseguimos diminuir o impacto imediato do reajuste. Também conseguimos fazer com que a Ação se comprometesse a melhorar o serviço oferecido”, destacou o chefe do Executivo em nota da Prefeitura.

'Em outro governo'

O vereador Rodrigo Casa Branca se posicionou sobre a colocação da Prefeitura de Mongaguá. Em nota, o parlamentar disse que o edital foi elaborado enquanto ele assumiu interinamente a chefia do Executivo, já que havia a chance de encerrar o período de contratação emergencial da empresa concessionária. Entretanto, Casa Branca garante que a continuidade do processo ocorreu em outro governo.

"Todos os atos licitatórios sobre a contratação de empresa para o transporte coletivo de Mongaguá foram feitos durante a administração do prefeito Márcio Cabeça", explicou o vereador. Segundo ele, apesar de vencedora, a comunicação oficial da empresa pelos órgãos de praxe não ocorreu formalmente.