Mercado do litoral de SP doa cestas básicas para famílias durante pandemia: ‘Dividir o que temos'

Ao todo, comércio irá distribuir os alimentos para 60 famílias durante três meses em Itanhaém

 A fim de colaborar com a comunidade do bairro Gaivota - onde possui um mercado - em Itanhaém, o empresário Valter Baldin, de 61 anos, decidiu dividir aquilo que possui com as pessoas que estão passando por dificuldades neste momento de pandemia. Por isso, o proprietário do mercado ‘Baratinho’ irá doar cestas básicas durante três meses para 60 famílias da região.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

“É um bairro que fez muita coisa pela gente, fomos muito bem recebidos. Então, em um momento desse de carência e desemprego, resolvemos dividir o não muito que temos”, explica Valter. De acordo com ele, o comércio não é um mercado grande, mas é um negócio que foi acolhido pela comunidade: “Estou há 19 anos estabelecido aqui, tenho cerca de 28 funcionários”.

A decisão de doar as cestas básicas surgiu como forma de ajudar os autônomos que estão parados e todas as pessoas que passam pelas dificuldades que vão além da saúde por conta da Covid-19. “A maneira que encontramos foi essa. Isso é questão de ser humanitário com o próximo”, destaca o empresário.

Após divulgar a ação, os funcionários do mercado cadastraram as famílias que demonstraram interesse. “Foram 212 famílias cadastradas, agora estamos no momento da triagem para ir de casa em casa ver a necessidade de cada um”, explica Valter. De acordo com ele, o objetivo é saber que as 60 cestas serão destinadas a pessoas que realmente precisam.

Na triagem, funcionários do mercado vão até as casas das famílias cadastradas. (Foto: Arquivo Pessoal)

Apesar de residir em Peruíbe, cidade vizinha, Valter possui um carinho muito grande pela região que possui o comércio, no Gaivota, em Itanhaém. “É um bairro bem carente. Há muita desigualdade, muita carência, estado de fome e miséria”, relata.

Cada cesta possui 26 itens, que somam cerca de 32 kg. Para o proprietário do mercado ‘Baratinho’, realizar a ação é gratificante: “Quando cadastramos as pessoas, vemos a necessidade de cada um estampada no rosto”.

O empresário afirma que a pandemia foi o motivo que o fez enxergar as dificuldades da população: “O que me ajudou a movimentar foi essa doença que está pegando muita gente, destruindo lares e matando muitas pessoas”. Ele  explica que a fé move suas ações: “Nós temos a proteção de Deus, então temos mais que fazer pelo próximo mesmo”, finaliza.

Páscoa

Apesar do mercado não funcionar no final de semana da Páscoa por conta do lockdown, o comércio doou 600 ovos de chocolate para as crianças da comunidade. A entrega do chocolate contou inclusive com a presença do "coelho da Páscoa".

Mercado organizou a entrega de ovos de chocolate para as crianças do Gaivota. (Foto: Divulgação/Mercado Baratinho)

 

Tudo sobre: