EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

19 de Agosto de 2019

Artista da região dá vida a brinquedos por meio de cenários e fotografias

Nascido em São Vicente, Bruno Santana é conhecido na web por criar cenários realistas com brinquedos nostálgicos, atividade conhecida como toyart

O trabalho de recriar cenas de filmes e desenhos animados usando brinquedos virou arte nas mãos do vicentino Bruno Santana, de 30 anos. Jornalista por formação, ele atualmente se dedica à toyart. A atividade envolve a fotografia de brinquedos em cenários montados para dar vida a eles, realizando o sonho de infância de muitas pessoas.

A nostalgia faz com que as fotos de Bruno sejam reconhecidas por mais de 17 mil seguidores nas redes sociais. Ele usa o Instagram e seu canal no YouTube para contar novidades do mundo dos toys, além de mostrar como cria suas obras. Ele conta que a fotografia de brinquedos pode parecer simples, mas cada detalhe ganha atenção especial. “Poder dar vida aos próprios brinquedos é um sonho que vem desde criança. Tornar reais situações que normalmente imaginamos quando somos pequenos”, diz.

“Ao mesmo tempo que parece uma coisa simples, a toyart também é complexa, por envolver uma figura que deve ser posicionada em um determinado lugar ou cenário, e passar uma mensagem clara, seguir uma escala, ter uma boa iluminação, entre outros pontos. Além de, principalmente, dar a sensação de que o toy ganhou vida. É isso que acaba sendo o diferencial, criando uma sensação de nostalgia a quem segue a toyart”, explica o artista, que já produziu cenários com brinquedos para grandes marcas internacionais.

Primeira foto feita por Bruno, com inspiração no desenho animado Pokémon (Foto: Bruno Santana/Arquivo pessoal)

A paixão pela toyart fez com que Bruno criasse a comunidade ‘#EsferaToy’, tag criada em 2016. Com o intuito de reunir interessados nesse universo, a comunidade, atualmente, conta com mais de 14,5 mil fotos marcadas, e muitos amigos que se conheceram por meio dela.

Brinquedos ganham vida

Bruno revela que a primeira vez que teve a ideia de fotografar brinquedos foi quando viu um pôr do sol avermelhado, que o fez lembrar de uma cena do desenho animado Pokémon. “Resolvi fotografar uma figura do Pikachu olhando para o céu. Na época, a toyart era pouco conhecida no Brasil, e não existia nenhuma referência que eu pudesse ter. Então, aquele começo foi bem experimental para mim”, conta.

Uma série de fotos feita com o personagem Super Mario foi o que trouxe visibilidade ao trabalho de Bruno (Foto: Bruno Santana/Arquivo pessoal)

O artista diz que começou a ganhar visibilidade em 2014, quando produziu sua primeira série fotográfica, que tinha um tema e uma pequena história envolvendo os personagens do videogame Super Mario. “Conheci outras pessoas que também fotografavam bonecos e muitos colecionadores”, relata.

Materiais recicláveis

O processo criativo para as fotos parte desde uma pesquisa de referências até assistir a filmes e, no meio deles, ter ideias para fotografar cenas semelhantes. Ele explica como cria os cenários: “Alguns podem ser montados em minutos, quando uso materiais que só preciso organizar lado a lado para compor uma cena, e alguns outros demoram dias ou até mais de uma semana, dependendo do que vou criar”. Foi o caso da foto em que recriou a Encenação da Fundação da Vila de São Vicente utilizando apenas materiais reciclados.

Encenação da Fundação da Vila de São Vicente foi recriada com bonecos por Bruno (Foto: Bruno Santana/Arquivo pessoal)

Bruno costuma utilizar materiais recicláveis como isopor, embalagens de eletrodomésticos, retalhos de tecido, peças eletrônicas sem funcionamento, palitos de sorvete, folhas, galhos, pedras e muito mais. Para trabalhos que exigem maior detalhamento, materiais específicos para artesanato são usados. “Tento ao máximo seguir as referências que já pesquisei, ou, quando é algo novo, a imaginação acaba sendo o guia”, explica.

Nostalgia

O público alvo desse trabalho é formado por pessoas que gostam de manter vivas as memórias da infância, os sonhos e boas lembranças dessa época, segundo Bruno. “Tenho muitos seguidores adultos que veem as fotos com personagens antigos e lembram da infância, que já tiveram aquele boneco, que desperta aquela sensação de nostalgia. Para os mais novos, acho que o foco acaba sendo mais a contação de histórias. Muitos seguidores nasceram de 2000 para cá, e não tiveram muito contato com desenhos que a minha geração consumia nos anos 90”, conta.

Redes sociais

Fotografias foram expostas em convenção nacional de histórias em quadrinhos e cultura geek (Foto: Bruno Santana/Arquivo pessoal)

As redes sociais são o meio de divulgação principal do trabalho da 'Esfera Toy', o que trouxe muitos benefícios e fortaleceu a relação entre ele e os apaixonados pela toyart. “Acho que o reconhecimento vem naturalmente com o tempo, e hoje em dia posso dizer que fiz muitos amigos com uma atividade que amo fazer. Não gosto de enxergar as pessoas como números ou simplesmente seguidores, mas considero que tenho um bom reconhecimento dentro da comunidade”, finaliza.