Um olhar diferente sobre o Centro Histórico de Santos

Aquarelas da artista e arquiteta Letícia Passarelli revelam construções do bairro mais antigo da Cidade, na exposição Postais Culturais

Por: Egle Cisterna  -  09/01/21  -  09:40
Letícia abre neste sábado (9), as portas de seu ateliê, onde estão expostas as obras
Letícia abre neste sábado (9), as portas de seu ateliê, onde estão expostas as obras   Foto: Vanessa Rodrigues

Em 40 aquarelas, perceber as nuances da arquitetura do Centro Histórico de Santos, passear por trás das histórias de cada prédio e sonhar com a revitalização da região mais antiga da cidade, que guarda ainda construções que são símbolos da formação do povo santista. Esta é a proposta da exposição Postais Culturais, da arquiteta e artista Letícia Passarelli, que abre as portas do seu ateliê ao público neste sábado (9), na Rua XV de Novembro, 32.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A mostra é fruto de um projeto premiado no Programa de Ações Culturais de São Paulo (ProAC-SP), do Governo estadual, em 2019. Na época, Letícia teve a maior nota entre os selecionados de Artes Plásticas do Estado. A intenção era que a exposição acontecesse no ano passado, mas o plano foi adiado devido à Covid-19.


As obras realizadas a partir da técnica de aquarela sobre papel serão apresentadas em diversos formatos, possibilitando ao visitante diferentes formas de experimentar cada cena retratada. A exposição traz um olhar mais sensível e curioso sobre os patrimônios e a região mais antiga de Santos, demonstrando o papel da arte como documentação histórica e cultural.


Entre os espaços retratados estão prédios representativos, como o Outeiro de Santa Catarina, a Bolsa do Café, a antiga estação Santos-Jundiaí, a Casa da Frontaria Azulejada, o Teatro Coliseu e o Café Paulista. “O intuito da exposição é funcionar como uma documentação artística do Centro de Santos e apresentar também a importância de preservação do patrimônio histórico e cultural aqui da região”, explica a arquiteta.

Além das 34 obras que abrem o evento, durante o período de exposição a artista deve pintar outras seis telas, para que os visitantes possam acompanhar o processo de criação das aquarelas.


Outras ações


O público também terá uma monitoria, que conta um pouco da história dos lugares retratados. E pensando em ampliar o conhecimento de quem passa por ali, Letícia também programou oficinas de aquarelas – que acontecem aos sábados, a partir do dia 16, com horários às 11 e às 14 horas, com material gratuito oferecido pela artista – e rodas de conversa.


Estas últimas acontecerão sempre às quartas-feiras, às 15 horas, e a primeira, no dia 13, já tem confirmada a participação do arquiteto e escritor Thales Veiga, que trata do tema Arquitetura e Arquitetura do Centro Histórico de Santos.


No dia 20 é a vez de uma roda de conversa sobre o Café em Santos, com a arquiteta e urbanista e arte-educadora Gabriella Andrade; a programação do dia 27 ainda deve ser definida e o encerramento das conversas, no dia 3 de fevereiro, é um papo com o jornalista Lincoln Spada e os artistas urbanos BomFim e Prëo, com o tema Arte e Cultura de Rua no Centro Histórico de Santos.


Por conta da pandemia, as oficinas de aquarela têm limite de oito participantes. Os interessados devem se inscrever por WhatsApp pelo número 9-8165-1605 e chegar ao local com dez minutos de antecedência.


Ampliando espaços

A exposição, que vai até o dia 3 de fevereiro, pode ser visitada de segunda a sábado, das 10 às 16 horas, na Rua XV de Novembro, 32, no Centro. Após esse período, as aquarelas seguem para a Pinacoteca Benedicto Calixto, entre os dias 6 e 28 de fevereiro.


Nos mesmos moldes, além das obras que estão em cartaz no Centro de Santos e as que serão produzidas durante a exposição, Letícia deve fazer uma tela especial, retratando o famoso casarão branco do Boqueirão.


Logo A Tribuna