Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

'Todos Nós' celebra a relação paterna entre Davi e Moraes Moreira

Nome do EP remete à primeira música que o filho compôs, ainda criança, durante turnê da família com o pai

Por: Egle Cisterna  -  06/01/21  -  11:46
EP traz uma das últimas composições do músico baiano, que morreu em abril do ano passado
EP traz uma das últimas composições do músico baiano, que morreu em abril do ano passado   Foto: Clarissa Piveta/Divulgação

Uma celebração coletiva, cercada de amigos, uma homenagem para quem partiu há nove meses. Este é o fio condutor do EP Todos Nós, que Davi Moraes lançou ontem para homenagear seu pai, Moraes Moreira. Com quatro canções, o trabalho, que conta com participações de peso, como Marina Lima e Carlinhos Brown, traz uma das últimas composições inéditas do músico baiano, que morreu em abril do ano passado, aos 72 anos.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A ideia surgiu da vontade dele de fazer um tributo ao pai. “A iniciativa foi quase que instantânea pela necessidade gigante de gratidão a esse pai maravilhoso que tive. A nossa ligação foi forte demais. Além da ligação de pai e filho, a música nos aproximou mais ainda. Passei a vida tocando junto com ele e criamos um vínculo muito forte”, conta Moraes, que ainda tenta trabalhar a saudade e o vazio deixado por Moreira.


O nome do EP remete à primeira música que Davi compôs, ainda criança, durante as turnês em que a família (“todos nós”) acompanhava Moreira. “Aos 12 anos, ele me colocou para tocar no Rock’n’Rio. Foi essa confiança dele em mim que me deu uma base profissional maravilhosa”, lembra.


A canção que deu início ao trabalho foi Aquele abraço do Gil, uma parceria de Moreira e Joyce Moreno. Em 2018, o músico teria entrado com a amiga em uma padaria e dado a ela a letra num pedaço de papel. De um dia para o outro, Joyce compôs um samba e enviou o áudio para ele, pelo celular. A música foi relembrada por Joyce, que sugeriu a Moraes gravá-la como um single. A nova versão, feita em cima do áudio original, conta com o baterista Paulo Braga e o baixista Alberto Continentino.


O EP tem ainda Aos Santos, parceria de Moraes com Carlinhos Brown, que está na percussão da faixa, junto com o contrabaixista Kassim. A outra inédita, composta por Mu Carvalho e Tuca de Oliveira, é O Cantor das Multidões. “Fiquei muito emocionado quando ouvi a música que eles fizeram em homenagem ao meu pai. Então chamei o Mu para fazer o piano junto com o Dadi no baixo, o Cesinha na bateria e o Marcos Nimrichter no acordeão. Ficou um clima meio A Cor do Som”.


Em família


A única regravação do EP é Davilicença, composta numa parceria entre Moreira e Armandinho Macedo, para qual Davi convidou a cantora Marina Lima para cantar junto. A música ganhou um clipe que será lançado sexta-feira. “Marina é prima-irmã de minha mãe e presenciou o encontro de meu pai e Armandinho, da qual ela tinha uma memória afetiva muito forte”.
Enquanto compõe para um trabalho futuro, Davi pensa em continuar as homenagens ao pai, que será marcada por um momento pós-pandemia fundamental. “Quando eu subir em um trio elétrico de novo, o corpo vai arrepiar de novo, pois era lá que nós estávamos sempre juntos, no Carnaval”.


Logo A Tribuna