Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Ratinho defende intervenção militar 'igual Singapura' e choca internautas

A declaração polêmica foi feita durante o programa 'Turma do Ratinho', na rádio Massa FM

Por: Por ATribuna.com.br  -  17/02/21  -  20:39
Ratinho insinuou em programa de rádio sobre a necessidade de uma 'intervenção militar' no Brasil
Ratinho insinuou em programa de rádio sobre a necessidade de uma 'intervenção militar' no Brasil   Foto: Reprodução/Instagram

O apresentador Ratinho polemizou nesta quarta-feira (17) após fazer declarações a favor de uma intervenção militar "igual a de Singapura", que para ele, seria uma forma de melhorar a situação no Brasil. A fala foi dita durante o programa Turma do Ratinho, na rádio Massa FM, que é de sua propriedade.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Ratinho criticava as vacinas vazias sendo aplicadas pelo Brasil, que repercutem na web, e criticava outras questões de saúde e segurança pública, como a guerra ao tráfico e mudanças nas regras de armamento. Nesse contexto, proferiu uma fala alertando que "sei que o que vou falar aqui pode até chocar".


"Está na hora de fazer igual fez em Singapura. Entrou um general, consertou o país e, um ano depois, fez eleições. Mas primeiro concertou, chamou todos denunciados e disse: 'vocês têm 24 horas para deixar o país ou serão fuzilados'. Limpou Singapura", disse.


O apresentador se referia ao governo de Lee Kuan Yew, que transformou a ilha de Singapura durante seus 30 anos como primeiro-ministro. O governo em questão, nitidamente ditatorial, manteve duro controle de liberdades individuais, pena de morte para vários crimes e punições para homossexualidade. A intervenção militar defendida na fala do apresentador é inconstitucional, segundo a Constituição Federal, promulgada após 21 anos de ditadura militar no Brasil.


Moradores de rua


Ratinho ainda defendeu que seria necessária uma "limpeza" de moradores de rua nas cidades, inspirado pelo ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani. "Ele limpou os mendigos da cidade. Do que as pessoas tinham medo? Morador de rua. Ele tirou todos os moradores de rua e deu um lugar para os caras se virarem. Ele limpou tudo e a imprensa ficou a favor dele. Aqui, se mexer com morador de rua, a imprensa cai em cima do político. Ele começou nos pequenos e chegou no maior".


Momentos depois, Ratinho proferiu que "os homens do botão dourado" tinham que voltar ao poder, expressão já conhecida que faz referência aos uniformes dos militares. "Se eu abrir uma votação perguntando se o povo é a favor da volta dos militares, dá 70%. Nossa democracia é muito frágil, dá margem para bandido, estranha", disse.


*Com informações do UOL


Logo A Tribuna