Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Mary Wilson, cofundadora das Supremes, morre aos 76 anos nos Estados Unidos

Ao lado de Diana Ross e Florence Ballard, na formação original, o grupo fez muito sucesso por diversos países. A causa da morte de Mary não foi divulgada

Por: Do Estadão Conteúdo  -  09/02/21  -  12:23
Atualizado em 09/02/21 - 12:45
Causa da morte de Mary não foi divulgada
Causa da morte de Mary não foi divulgada   Foto: Reprodução/Instagram

Mary Wilson, uma das fundadoras do grupo The Supremes, morreu aos 76 anos, segundo informações locais. A cantora morreu na noite de segunda-feira (8) na sua casa em Las Vegas (EUA) e a causa não foi imediatamente esclarecida. Mary Wilson, Diana Ross e Florence Ballard formaram a primeira configuração de sucesso do The Supremes. Ballard foi substituída por Cindy Birdsong in 1967. Mary Wilson ficou com o grupo até que o mesmo foi oficialmente dissolvido pelo selo Motown, em 1977. A cantora criou o grupo quando tinha 15 anos quando residia em Detroit (EUA), segundo a publicação Variety.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em 1988, Mary entrou para o Rock and Roll Hall of Fame. "Mary Wilson foi muito especial para mim. Ela foi uma pioneira, uma diva e sua falta será muito sentida", disse Berry Gordy, fundador do selo Motown, que foi responsável por muitos dos sucessos da banda feminina.


Há apenas dois dias, a cantora havia postado um vídeo no YouTube para celebrar o Mês da História Negra, anunciando "notícias empolgantes sobre as Supremes, Florence Ballard e material inédito".


Mary Wilson nasceu em 12 de março de 1944 em Greenville, Mississippi. A cantora foi criada por tios antes de se mudar para Detroit com sua mãe quando tinha 12 anos. Lá, começou a cantar e, junto com Ballard, fundou o grupo que viria a se chamar The Supremes. Apesar da fraca recepção inicial, a banda alcançou a fama no final dos anos 1960 com sucessos como Stop! In the Name of Love e Baby Love.


Depois que Diana Ross deixou o grupo em 1970 para seguir carreira solo, The Supremes nunca mais dominou as paradas, mas ainda tinha alguns sucessos como River Deep, Mountain High e Stoned Love.


Mary Wilson manteve seu lugar na banda até o final de 1977. Em 1986, a cantora publicou suas memórias em Dreamgirl: My Life As a Supreme, obra na qual falou sobre seu passado e sua relação com Ross. A cantora deixa uma filha, Turkessa, um filho, Pedro Antonio Jr., e dez netos. (Com agências internacionais).


Logo A Tribuna