Marlon Wayans: 'Se uma piada vai me cancelar, obrigado por me fazer esse favor'

Para ele, a sociedade está forjando um lugar onde ninguém mais pode rir

Por: Estadão Conteúdo  -  26/10/22  -  17:00
Para o ator, a sociedade está forjando um lugar onde ninguém mais pode rir
Para o ator, a sociedade está forjando um lugar onde ninguém mais pode rir   Foto: Getty Images

Em recente entrevista à revista americana Variety, o ator Marlon Wayans, intérprete de Marcus Copeland, no sucesso As Branquelas, 2004, falou sobre a necessidade de ter mais longas como o que atuou, apesar do risco de serem afetados pela "cultura do cancelamento". Para ele, a sociedade está forjando um lugar onde ninguém mais pode rir.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


"Eu não sei em que planeta estamos, onde você acha que as pessoas não precisam rir, e que as pessoas precisam ser censuradas e canceladas. Se uma piada vai me cancelar, obrigado por me fazer esse favor. É triste que a sociedade esteja neste lugar onde não podemos mais rir", disse o ator.


A comédia que estreou Marlon Wayans e seu irmão, o também ator Shawn Wayans, no papel de Kevin Copeland, mostrava a dupla como agentes do FBI que se disfarçam de mulheres brancas para resolver um sequestro. O elenco ainda conta com o astro Terry Crews, no papel de Latrell Spencer.


Segundo o ator, ele não está "ouvindo essa maldita geração", mas sim empenhando em dar sequência ao seu trabalho.


"Eu não estou ouvindo essa maldita geração. Não estou ouvindo essas pessoas: essas pessoas assustadas, esses executivos assustados. Vocês fazem o que querem fazer? Excelente. Eu ainda vou contar minhas piadas do jeito que eu conto. E se você quiser ganhar algum dinheiro, suba a bordo."


Por fim, disse que seu público entende o seu perfil de humor, que é "sempre contar a pior piada da melhor maneira" e que "todo fim de semana eles saem se sentindo ótimos e rindo".


Logo A Tribuna
Newsletter