Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Mariana Xavier abre o coração sobre depressão e o tempo da novela A Força do Querer

'Era o momento mais feliz da minha carreira e fiquei à beira de pirar', revela a atriz

Por: Do Estadão Conteúdo  -  01/02/21  -  12:17
“Era o momento mais feliz da minha carreira e fiquei à beira de pirar”
“Era o momento mais feliz da minha carreira e fiquei à beira de pirar”   Foto: Victor Pollak/Globo

Mariana Xavier ama ser atriz. Em A Força do Querer, novela das 21 horas da Rede Globo, exibida originalmente em 2017, ela conta que estava vivendo o melhor momento profissional até então, como a desencanada Abigail, secretária do austero Eurico (Humberto Martins) e amiga de Nonato/Elis Miranda (Silvero Pereira).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Além da trama de Gloria Perez, a intérprete também fez parte do elenco do Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão. Apesar do sucesso, a carioca, hoje com 40 anos, relata que quase pirou nos bastidores para lidar com os dois compromissos simultaneamente.


“O mais difícil, na verdade, não foi só por conta da novela. Mas conciliar a reta final com o Dança dos Famosos foi loucura! Não à toa, desenvolvi um processo de ansiedade ali. Até então, era a melhor fase da minha vida e vi o meu emocional de um jeito completamente diferente do que já tinha vivido”, confessa.


Segundo Mariana, é importante tocar no assunto porque, muitas vezes, a sociedade não dá a devida atenção à saúde mental. A atriz, que também mantém um canal no YouTube, já abordou o tema em seus vídeos. E ressalta que o público sequer imagina que, até mesmo por trás de uma trajetória de sucesso, possa existir alguém enfrentando circunstâncias dolorosas para se manter ativo profissionalmente.


“As pessoas acabam achando que você só tem algum transtorno emocional ou mental quando as coisas estão ruins e não é verdade. Fiz um vídeo no meu canal falando que depressão não dói no que sobra, mas no que falta. E, para todo mundo, falta alguma coisa. Acho que é legal falar que era o período mais feliz da minha carreira e fiquei à beira de pirar”, afirma.


Fora do estereótipo


A atriz reforça que Biga, apelido de Abigail, foge do estereótipo de que uma pessoa gorda deve ser engraçada na trama. Pelo contrário, a personagem tem sequências dramáticas com Nonato, que sofre preconceito na história por ser travesti. As cenas dos shows de Elis Miranda também continuam guardadas com carinho na memória. Principalmente pelos bastidores.


“As gravações no Teatro Rival, eram sempre cansativas e longas. Mas também divertidas. Ali, o elenco era basicamente de travestis e homossexuais. E aprendi convivendo com eles. Entre uma cena e outra, ouvi depoimentos lindos de como era importante retratar aquele tema. Lembro de uma pessoa dizer que era oficial da Marinha e estava contando os dias para se aposentar e poder ser quem ele era de verdade”, conta.


A partir de A Força do Querer, Mariana entrou em um fluxo intenso de trabalho e prosperidade. Apesar disso, o sucesso também serviu para questionar a própria fama. Então, a atriz resolveu aproveitar a popularidade para colocar em pauta temas importantes. Dessa forma, tentou criar uma consciência coletiva ainda maior.


“Agora, tenho tudo de que preciso. Estou confortável, consigo pagar meus boletos, sou reconhecida pelo meu trabalho. Vou usar a visibilidade que tenho para transformar o mundo de alguma forma. Aí, entrei como voluntária do projeto Papo de Responsa, da Polícia Civil (que dá palestras para jovens), e continuo com o meu canal. Deixa o meu coração tranquilo saber que estou agindo de acordo com os meus princípios”, avalia.


Logo A Tribuna