Depois da Tempestade e Zimbra unem forças em novo single

Bandas santistas divulgam 'Máscaras de Oxigênio Cairão Automaticamente'

Por: Lucas Krempel  -  19/12/18  -  09:34
Atualizado em 19/12/18 - 09:44
  Foto: Lucas Shtorache/Divulgação

Duas das bandas mais destacadas do cenário musical santista atual uniram forças para gravar um single. Depois da Tempestade (DDT) e Zimbra – esta representada pelo vocalista Rafael Costa, o Bola – lançam hoje vídeo ao vivo da música Máscaras de Oxigênio Cairão Automaticamente.


Prestes a completar sete anos de estrada, o grupo encerra o ano com o terceiro lançamento de música inédita. Antes disso, foram divulgados os singles Do Inferno à Imensidão e Bom Dia, ambas gravadas no lendário estúdio Costella, em São Paulo, sob produção de Gabriel Zander (Zander, Noção de Nada).


Também na onda dos lançamentos curtos está a banda Zimbra, que antecipou o novo álbum, que sairá em 2019, com outras três canções, Meia Vida, Me Mude e Você é a Mais Sincera.


A faixa Máscaras de Oxigênio Cairão Automaticamente, segundo Victor Birkett, vocalista da Depois da Tempestade, será trabalhada agora no final de 2018, mas também no início do próximo ano.


“Fomos convidados para participar de um projeto de TCC de um amigo, Murilo Nogueira, que veio com a ideia de juntarmos a DDT com o projeto solo do Bola. Gravamos a música ao vivo, editamos um mini documentário e após o material ter sido aprovado pela banca,ficamos com todo o conteúdo para nós. Resolvemos divulgar o vídeo ao vivo, que tem uma pinta de clipe oficial, apesar de não ser”,explica.


A ideia, de acordo com Birkett, é veicular o videoclipe em fevereiro e assim trabalhar novamente a nova música.


Lado solo


Também com planos para 2019 está Bola, que fez um giro pelo País nesse ano com a Zimbra e pretende trabalhar mais o lado solo em 2019. O músico ainda participou do processo de composição da faixa. “Conheço a banda há tempos e trabalho com o Victor há alguns anos. Daí a gente já tem uma afinidade além da parte musical. Sempre que surgia a ideia de fazer alguma coisa juntos, a gente se animava. Mas por conta dos cronogramas das bandas, sempre adiávamos isso”, relembra ele,aos risos.


Recentemente, Bola tocou com a Zimbra na Comic Con Experience (CCXP), na Capital. Mais uma superexperiência para a banda, que já integrou o line-up do Lollapalooza.


Sobre o processo de gravação, Bola ressalta os desafios de prazos. “Surgiu a oportunidade e acho que como o processo foi um pouco diferente, por termos um prazo, a coisa andou de forma eficiente. Me encontrei com o Victor algumas vezes para trabalhar na letra, coisa que fiz pouquíssimas vezes com alguém. E fiquei muito feliz com o resultado, pois saí da minha zona de conforto em termos de composição, sem estragar a música de alguém”.


Logo A Tribuna