Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Coreia do Norte desvelada na telinha

A Mente do Ditador é um dos temas das Quintas Confidenciais, que estreia nesta quinta com episódio sobre o serviço secreto dos EUA

Por: Beatriz Viana  -  04/02/21  -  11:00
Seul esperava que evento fosse a chance de 'fomentar a paz e a reconciliação entre as duas Coreias'
Seul esperava que evento fosse a chance de 'fomentar a paz e a reconciliação entre as duas Coreias'   Foto: Reprodução

Buscando oferecer uma visão ampla da situação política na Coreia do Norte, os produtores David Glover e Kate Quine revelam as motivações por trás do documentário Coreia do Norte: A Mente do Ditador. O especial faz parte da programação Quintas Confidenciais, um bloco de séries documentais que estreia nesta quinta-feira (4) na National Geographic, às 21h. Os episódios são exibidos às quintas-feiras no mesmo horário.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Por mais de 70 anos, a Coreia do Norte é governada pela mesma família, que clama um “direito divino” de liderança. Entretanto, é difícil encontrar informações sobre suas vidas. No documentário, a produção mergulhou fundo nessas questões para entender como a linhagem Kim formou mais um ditador.


“Nós trabalhamos nesse programa em específico por cerca de um ano e meio. Conseguimos colocar análises psicológicas junto à narrativa das imagens, para sentirmos que estamos ali presentes. Sempre queremos aproximar do assunto, buscar um entendimento do que está acontecendo”, conta David Glover.


Mesmo com acessos limitados, a série se aproxima intimamente da história dos Kim. A narrativa revela peculiaridades surpreendentes, como, por exemplo, a paixão obsessiva do patriarca Kim Jong-il (antecessor de Un) por cinema; o processo de inserção de Kim Yo-jong, irmã mais nova do ditador, nos negócios da família; ou a adolescência libertária de Kim Jong-un no Ocidente, onde se encantou por basquete e cigarros.


“Para mim, é sempre fascinante ouvir pessoas que conhecem ele (Kim Jong-un). Há muita especulação, mas quando falamos com seus amigos de infância, pessoas que o conheceram com seus pais, nos sentimos no mesmo quarto que ele e conseguimos alcançar informações realmente verdadeiras. Sua posição é muito importante no mundo, e sua história de vida junta as peças de onde a Coreia do Norte está situada. É como encontrar as raízes de um país em uma única mente”, reflete Glover.


Pouca informação


Segundo Kate, a mística que envolve a figura de Kim ajuda a consolidar seu status. “Ele é um líder incrivelmente poderoso, interessante, e mesmo assim, sabemos pouco sobre ele. Mergulhar nesse mundo e entender sua formação na Coreia foi uma urgência crucial”, conta Kate.


Alguns eventos históricos são abordados com maior profundidade, como a morte do meio-irmão do líder, Kim Jong-nam, que estava exilado desde 2001 e foi assassinado por envenenamento em um aeroporto na Malásia, em 2017.


Outro caso explorado pelo documentário foi o encontro histórico entre Kim Jong-un e o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que se tornou o primeiro presidente americano a entrar na Coreia do Norte. Para Kate, esse evento marca um ponto de virada no documentário. “O fato dos dois serem personagens tão extraordinários nos compeliu a retratar. O segundo episódio joga camadas nessa história, mostrando suas reuniões em Cingapura, e é um momento inacreditável. Eles pareciam ter uma fascinação mútua”, afirma Kate.


Segurança


Para viabilizar o projeto, houve uma preocupação com a segurança das fontes. “Foi difícil. Nós fomos críticos para ter certeza que cada pessoa que acessamos estava segura. Tínhamos protocolos rígidos para evitar possíveis riscos aos entrevistados. Suponho que o primeiro desafio foi encontrar essas pessoas, pois algumas foram ameaçadas, outras se mudaram várias vezes. Foi um processo bem longo para criar relacionamentos e garantir que essas pessoas estavam confortáveis em somar nessa história”, diz Kate.


Estreia


O primeiro episódio do bloco Quintas Confidenciais, que vai ao ar nesta quinta-feira (4), às 21h, no National Geographic, é Serviço Secreto Americano: Agentes em Campo, que mostra agentes americanos em sua rotina de trabalho na Casa Branca. Na sequência, serão exibidos outros dois episódios: Área 51: Arquivos Secretos, às 21h45, e O Mundo Secreto de Nasca, às 22h30.

O bloco Coreia do Norte começa em 11 de fevereiro, reunindo informações sobre ações cibernéticas, armas nucleares, espionagem e mais. Entre os destaques do documentário, estão entrevistas exclusivas com uma das pessoas acusadas do assassinato de Kim Jong-nam, um cidadão americano que ficou preso no país por suspeita de espionagem, e um ex-colega de classe de Kim Jong-un na adolescência.


Logo A Tribuna