Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Compositor registra boletim de ocorrência contra Wesley Safadão por suposto plágio

Cantor é acusado de 'propriedade imaterial' pelo uso da canção 'Vaqueirinha Maltratada'

Por: Por ATribuna.com.br  -  04/02/21  -  14:34
Wesley Safadão já havia sido processado, em 2020, por uso indevido da mesma canção
Wesley Safadão já havia sido processado, em 2020, por uso indevido da mesma canção   Foto: Reprodução/Instagram

O compositor Jonas Alves registrou um boletim de ocorrência contra o cantor Wesley Safadão. No boletim, Jonas denuncia o cantor por crime contra a propriedade imaterial pela canção Vaqueirinha Maltratada. O compositor já tinha entrado com uma ação judicial pelo mesmo motivo em 2020.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


"Sempre fomos parceiros, mas quando foi a vez dessa música Vaqueirinha Maltratada, ele não agiu de forma correta. O boletim foi feito para poder dar entrada no processo criminal. Na mídia o Wesley não se posicionou ainda. Deve ser porque não tem argumento para se defender", revelou Jonas ao colunista Leo Dias.


O processo foi impetrado em 2020, onde Jonas alega que Safadão não lhe pagou pela composição da música, lançada em 2018. No processo movido contra o cantor, Jonas pede o montante de R$ 4,5 milhões referentes a danos materiais e mais R$ 200 mil por danos morais.


Em defesa apresentada à época pela Justiça do Ceará, Safadão negou a acusação e afirmou que "jamais explorou comercialmente a obra". Disse que, em meados de março de 2018, gravou um CD chamado Diferente não, estranho, onde prestava algumas homenagens a outras bandas com trechos de outros artistas. Segundo ele, o uso damúsica Vaqueirinha Maltratadafoi incluído no álbum em homenagem a Mano Walter, com autorização para executá-la e utilizá-la em seu repertório.


"A canção jamais foi executada ou explorada publicamente em shows da banda Wesley Safadão, bem como jamais foi utilizada como música de trabalho ou inserida em plataformas digitais que remuneram", declarou o cantor à Justiça durante a ocasião. "Jamais houve qualquer uso da obra que tenha ocasionado ganho financeiro direto ou indireto".


*Com informações do UOL


Logo A Tribuna