Com ideia básica "A Vida em Si" surpreende e emociona

Dirigido por Dan Fogelman, longa-metragem faz concorrência com a época natalina

Por: Rubens Ewald Filho - Crítico de Cinema  -  06/12/18  -  12:05
  Foto: Divulgação

O filme A Vida em Si é uma das raras estreias da semana que pode fazer boa concorrência com a época natalina. Isto já seria um grande feito de um roteirista e diretor pouco conhecido aqui, Dan Fogelman (o site IMDB dá a dica: por que todo mundo adora Fogelman?). Nascido em março de 1976, casado com Caitlin Thompson, ele começou como produtor e roteirista de televisão.


Entre seus trabalhos estão o simpático e humano Eu você e a garota que vai morrer, Não olhe para Trás, com Al Pacino, Pitch, série da Fox, 16, Grandfathered, 15, Galavant, 16, Honeymoon with Harry. Mais que uma Familia, a animação Carros da Disney (2006, onde foi o roteirista), além de roteiro de outra animação de sucesso Enrolados (10), Boltsupercão (08), Carros 2 (11). Tem ainda um clássico da comédia romântica, que foi Amor à Toda Prova (Crazy, Stupid, Love, 11, com Emma Stone e Ryan Gosling).


Mas seu maior êxito americano foi com a série conhecida como This is Us, 16-19, com brilhante roteiro sobre uma família de trigêmeos e os diferentes problemas que enfrentam. Com Mandy Moore, Milo Ventimiglia, entre outros.


O mais interessante de tudo, porém, é o fato de que, relativamente, ele fez apenas dois longas-metragens de cinema! E que foram muito admirados.


Este A Vida em Si é ainda mais ousado, a partir da ideia básica, entre dois continentes e duas línguas, inglês e espanhol. Na disputa do projeto, quem acabou levando a melhor foi justamente a Amazon. E assim foi reunido um elenco internacional, altamente prestigioso.


Uma história romântica muito especial, com um casal jovem de Nova York que teve um romance na faculdade, mas, agora, espera o nascimento do primeiro filho. Só que as confusões e problemas que começam a aparecer se espalham por outro continente e provocam outras situações. Sua intenção, diz o diretor, é celebrar a condição humana com todas as suas complicações de humor e amor!


Mas acho bom avisar que se trata de um filme sentimental, com reviravoltas nem sempre alegres ou positivas. Isto porque os romances e paixões tem altos e baixos e, às vezes, um acidente irá provocar um suicídio, embora nem sempre caia em clichês. Não espere uma comédia romântica .


Dois detalhes: 1) sendo da Amazon, o filme não passou em salas de cinema em muitos lugares. Aqui é exceção e, por isso, rendeu pouco (pouco mais que US$ 4 milhões); 2) curiosamente, o titulo do filme original é Life Itself que, por sua vez, é também o mesmo título para a biografia do falecido crítico americano, muito querido, chamado Roger Ebert.



A Vida em Si (Life itself) EUA, 18, 1h57. Roteiro e direção de Dan Fogelman. Com Oscar Isaac, Olivia Wilde, Annette Bening, Mandy Patinkin, Jean Smart, Olivia Cooke, Serio Peris Menchetta, Antonio Banderas, Laia Costa (premiada atriz espanhola), Samuel L. Jackson, Jake Robinson. Roxy Pátio Iporanga, Cinemark,Praiamar.


Logo A Tribuna