Ator de 'Heartstopper' se declara bissexual e critica pressão para falar

Durante a divulgação da série, o intérprete do personagem Nick Nelson, já havia se recusado a rotular sua sexualidade

Por: Estadão Conteúdo  -  01/11/22  -  14:43
Ator de 'Heartstopper' se declara bissexual e critica pressão para falar
Ator de 'Heartstopper' se declara bissexual e critica pressão para falar   Foto: Reprodução

A estrela da série da Netflix, Heartstopper, o ator Kit Connor, usou seu perfil no Twitter para fazer um desabafo sobre pressão que sofreu para responder sobre sua sexualidade. O ator afirmou ser bissexual e disse que sentiu que foi "forçado" a falar sobre suas escolhas pessoais.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


"Voltei por um minuto. Eu sou bi. Parabéns por forçarem um jovem de 18 anos a se expor. Acho que alguns de vocês perderam o ponto da série. Tchau", escreveu o ator.


A criadora do livro de quadrinhos que inspirou a produção, Alice Oseman, manifestou seu apoio a Connor, dizendo que não entende como as pessoas podem assistir a série e depois ficar especulando sobre a sexualidade das pessoas e julgando com base em estereótipos. "Espero que todas essas pessoas estejam envergonhadas. Kit, você é incrível", finalizou.


Durante a divulgação da série, o intérprete do personagem Nick Nelson, já havia se recusado a rotular sua sexualidade. Em partição no podcast Reign with Josh Smith, o jovem ator afirmou que Heartstopper é de "todos", então qualquer especulação sobre "sua sexualidade" ou de outras pessoas, poderia "pressioná-los a sair [do armário] quando talvez eles ainda não estejam prontos". "Quero dizer, para mim, sinto que estou perfeitamente confiante e confortável com minha sexualidade", disse.


Ele completou afirmando que não é muito "fã de rótulos ou coisas do tipo". "Não sou fã disso e não sinto que preciso me rotular, especialmente publicamente", falou.


Por fim, ele explicou o motivo de não abrir sua intimidade. "É um pouco estranho fazer suposições sobre a sexualidade de uma pessoa apenas com base em ouvir sua voz ou ver sua aparência. Sinto que esse é um tipo de suposição muito interessante e um pouco problemática a se fazer", concluiu.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna
Newsletter