Você sente que seu amigo de quatro patas está triste? Saiba identificar a depressão canina

Assim como nos humanos, a doença em animais também aparece por meio de mudanças comportamentais e de humor

Por: Redação  -  20/03/22  -  15:30
É preciso estar atento ao comportamento do animal para tratar de forma adequada
É preciso estar atento ao comportamento do animal para tratar de forma adequada   Foto: AdobeStock

O seu cachorro fica lambendo as patinhas sem parar? Ou, recentemente, perdeu peso e apetite? Ele tenta evitar toques, carinhos e passa a maior parte do dia dormindo? Então, fique atento, pois esses sinais podem indicar que o seu cãozinho tem depressão.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Muita gente se engana ao acreditar que animais não possuem sentimentos. A verdade é que os cachorros podem desenvolver problemas psicológicos, assim como os seres humanos. A depressão canina, diferentemente do que se pensa, não é um mito e pode ser desencadeada por diversos fatores que nós já conhecemos, como o estresse e mudanças bruscas de rotina.


De acordo com a veterinária da ONG Defesa da Vida Animal (DVA), Marilia Moreira, a depressão nos pets tem os mesmos sintomas que nos humanos. “O cão que fica muito sozinho e tem pouco contato com pessoas ou outros animais pode ficar depressivo, assim como aqueles que já foram vítimas de maus-tratos”, explica.


Do mesmo modo como acontece com os seres humanos, a depressão canina é uma doença silenciosa, que possui indícios sutis de sua presença. Para identificá-la, é preciso que as “mães ou pais de pets” prestem bastante atenção nas ações e na rotina do cachorro.


“Muitos sintomas de tristeza podem ter como fundo alguma outra doença. Por isso é recomendado levar o bichinho ao veterinário o mais rápido possível quando notar qualquer alteração no comportamento dele”, afirma Marilia.


“Devemos lembrar que os cães precisam de estímulos físicos e mentais. Não adianta dar apenas uma casinha, água e comida e deixar sozinho. É preciso reservar um tempo diariamente para brincar, passear e acarinhar. São atividades essenciais tanto para os cães quanto para os humanos”, observa a veterinária.


Caso seu cachorro seja diagnosticado com depressão por um veterinário, o tratamento para a doença é semelhante ao adotado para a depressão humana: usa-se medicamentos que amenizam os sintomas, como os antidepressivos.


Para ajudar a prevenir as doenças psicológicas no seu melhor amigo, algumas medidas são necessárias. Antes de tudo, é preciso proporcionar ao pet um ambiente amplo, limpo e arejado. Dar bastante carinho e demonstrar o quanto ele é importante e essencial, assim como manter os seus potinhos de água e comida sempre limpos e frescos. E não se esqueça de brincar e passear com o seu cãozinho; afinal, ele é o seu melhor amigo.


Logo A Tribuna
Newsletter