Séries e filmes da Netflix fora do circuito americano

Os serviços de streaming vem se destacando pela diversidade de seu catálogo

Por: Gustavo Klein  -  17/04/22  -  14:39
A série japonesa Alice in Borderland vai agradar quem curtiu Round 6
A série japonesa Alice in Borderland vai agradar quem curtiu Round 6   Foto: Divulgação

Entre tantos serviços de streaming, o pioneiro deles, a Netflix, vem se destacando pela diversidade de seu catálogo em relação à origem das produções. Enquanto na concorrência o forte são as produções norte-americanas (até porque é o mercado dominante, culturalmente falando), na Netflix é comum ver filmes turcos e espanhóis, séries coreanas e italianas e outras produções de países fora do circuito comercial liderando o ranking dos mais assistidos.


É saudável e altamente positivo que outros mercados produtores de entretenimento tenham espaço e que o público tenha acesso a essas produções. É dessa forma, conhecendo a cultura de outros povos, que se exercita o melhor jeito de empatia. Conhecer e entender é talvez a única maneira de evitar preconceitos e conflitos. Segue, então, uma primeira relação do que de mais recente – e melhor – entrou na Netflix fora do “mainstream” norte-americano.


Silêncio na Floresta (Polônia)
Seriado inspirado em um livro de muito sucesso do americano Harlan Coben, mostra um promotor de justiça que passa seus dias pensando no destino de sua irmã, que desapareceu quando ambos eram adolescentes e estavam em uma colônia de férias. Para quem gosta do autor, boa notícia: outras 14 obras dele devem ser adaptadas pelo serviço.


Guia Astrológico para Corações Partidos (Itália)
A série é uma comédia romântica que gira em torno de uma produtora de tevê, solteira, que cria um reality show de namoro baseado na astrologia que faz o maior sucesso. O seriado mostra essa vida profissional, mas também os fracassos pessoais da moça e de seus colegas no campo amoroso. Bobeirinha divertida, tem duas temporadas de seis episódios cada.


As Telefonistas (Espanha)
As cinco temporadas deste show já estão disponíveis e mostram as dificuldades das mulheres na década de 1920. Elas trabalham como telefonistas para uma recém-criada empresa de telecomunicações e precisam lidar com os problemas em casa e com o desafio de enfrentar o mercado de trabalho pela primeira vez.


Studio Ghibli (Japão)
As animações japonesas do Studio Ghibli estão entre os maiores clássicos recentes da filmografia do país. Há verdadeiras joias que refletem a cultura, o modo de pensar e as tradições nipônicas, como Meu Amigo Totoro, o oscarizado A Viagem de Chihiro e o doce Ponyo. Todos os filmes do estúdio estão disponíveis no serviço de streaming.


Alice in Borderland (Japão)
Quem curtiu Round 6 não pode perder esse seriado japonês nos mesmos moldes, mas ainda mais violento. Nele, moradores aleatórios de Tóquio são selecionados para um jogo em que a própria vida é o prêmio principal, com provas no melhor estilo Jogos Mortais e aquele tradicional mistério sobre sua origem, revelando conspirações completamente malucas. Divertido, deve ganhar uma nova temporada em breve.


Midnight Diner (Japão)
É uma das séries mais interessantes da Netflix, que produziu duas temporadas extras de um seriado que já existia e havia sido descontinuado. São capítulos independentes focados na figura de um cozinheiro conhecido apenas como Mestre, dono de um pequeno restaurante que funciona da meia-noite às 7 horas. Ali, se encontram e desencontram os notívagos moradores de Tóquio, almas perdidas na madrugada em busca de seus pratos favoritos, e o espectador fica conhecendo um pouco da história da pessoa e do prato. Uma pena que os outros cerca de 50 episódios da série, que não foram produzidos pela Netflix, ainda não tenham entrado no catálogo da plataforma.


Cinema Espanhol
Além de Mães Paralelas, que marca a oitava colaboração de Pedro Almodóvar com Penélope Cruz, a Netflix disponibilizou outros filmes do diretor, como os já clássicos Ata-Me e Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos. Também vale muito a pena experimentar outros filmes e séries do país. Um diretor espanhol de quem gosto muito e que também tem filmes no serviço é Álex de la Iglesia. Veja dele Perfeitos Desconhecidos, uma maluquice deliciosa sobre um grupo de amigos que, durante um jantar, resolve fazer uma brincadeira perigosa: todos os celulares devem ficar no centro da mesa e qualquer ligação ou mensagem que chegar deve ser atendida, mostrada e ouvida, em viva voz, na frente de todos. Confusão certa, não? E claro: também no serviço de streaming está a badalada série La Casa de Papel.


Logo A Tribuna
Newsletter