Está se sentindo velho? Psicóloga de Santos ensina como mandar a crise de idade embora

Ela é comum principalmente na chegada dos 40 anos, mas pode dar as caras em outros momentos da nossa vida

Por: Giovanna Corerato  -  03/07/22  -  13:48
Confira as dicas para lidar melhor com o passar do tempo
Confira as dicas para lidar melhor com o passar do tempo   Foto: Adobe Stock

Muita gente, principalmente quando chega aos 40 anos, se depara com a famosa crise da meia-idade. Ela vem acompanhada de um misto de sentimentos, em especial insegurança, frustração e o medo de não ter aproveitado a vida o suficiente. Mas esse tipo de crise também pode dar as caras em outras fases da nossa vida, com destaque para aquelas marcadas por processos importantes de transição, como a época em que se ingressa na terceira idade. E acredite: há situações em que surge na adolescência ou mesmo no início da vida adulta.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Em cada faixa etária, existe um padrão de comportamento esperado pela sociedade e, quando essas expectativas não são atingidas, a tendência é a gente começar a pensar a respeito. “Após frequentes reflexões sobre a nossa própria vida, quanto à percepção de nossas realizações ou da falta delas, surgem muitos sentimentos e emoções. A sensação de não ter aproveitado ou construído o que se desejava, ou de não ter atingido os objetivos que se tem, assim como as percepções sobre as próximas fases da vida, tudo isso pode trazer angústia e ansiedade”, explica a psicóloga Jamile Gonçalves.


Meia-idade
A meia-idade, período entre os 40 e os 55 anos, estimula uma avaliação de todas as esferas da nossa vida, pela constatação de que ela é finita, de que passa muito rápido… Jamile explica que essa transição leva não só à reavaliação de diversos aspectos da vida como à necessidade de tomar decisões para a manutenção de estruturas, como casamento, família, amizades e a carreira. Ou seja, tudo aquilo que foi construído ao longo dos anos de vida.


“Se não conseguiu atingir o que almejava, o adulto de meia-idade pode sentir-se muito frustrado, chegando até a desenvolver doenças mentais, com alterações do humor e da motivação. Os sentimentos de incapacidade afetam a autoestima e podem gerar uma crise existencial e emocional”, afirma a psicóloga.


Ela acrescenta que a mulher acaba vivenciando um momento ainda mais marcante e intenso na meia-idade. “A menopausa traz não só alterações físicas e emocionais, mas também mudanças hormonais que afetam a saúde como um todo. Conforme essas emoções vão se desequilibrando, podem surgir crises depressivas e ansiosas ou, inclusive, quadros mais graves de acordo com os acontecimentos e com a forma como se reage a eles”.


Outras épocas
É preciso deixar claro que não existe somente uma crise de idade. Além da famosa dos 40, a crise dos 30 anos, por exemplo, aparece quando a disposição já não é a mesma da dos 20 e poucos anos, a pele e o cabelo começam a apresentar os sinais da maturidade e as noites de sono mudam. Sem contar que preocupações e questionamentos sobre o que fazer da vida passam a ser recorrentes.


Como tratar?
A busca do autoconhecimento tem um papel fundamental no combate e na prevenção de uma crise de idade. Esse processo envolve compreender as próprias características, os seus potenciais e fraquezas, assim como lidar melhor com as suas questões, expectativas e o planejamento da sua vida. “É preciso avaliar o quanto essa fase está impactando a sua rotina, que tipo de emoções e sintomas podem estar presentes e qual o grau de prejuízo à sua funcionalidade”, explica a psicóloga Jamile Gonçalves. Ainda segundo ela, muitas pessoas atravessam uma crise de idade com as suas reflexões e questionamentos, mas não necessariamente sofrem com isso. Só que, dependendo do caso e da intensidade da crise, “o acompanhamento de um profissional de saúde mental pode ser importante, para que ele avalie se existe a necessidade de uma intervenção até farmacológica”.


Logo A Tribuna