Assistir ao filme 'Não! Não Olhe!' é uma experiência impactante

Daniel Kaluuya já fez Corra e repete a parceria na nova produção

Por: Gustavo Klein  -  28/08/22  -  10:53
Novo longa de Jordan Peele, diretor de 'Corra!', é principal destaque nas salas paulistanas
Novo longa de Jordan Peele, diretor de 'Corra!', é principal destaque nas salas paulistanas   Foto: Reprodução

Jordan Peele é o M. Night Shyamalan que deu certo. Seu filme mais recente, Não! Não Olhe!, em cartaz nos cinemas da região, é a prova de que o diretor, roteirista e produtor, sempre ligado em temáticas misteriosas ou assustadoras, é capaz de emendar um sucesso no outro desde seu primeiro hit, Corra, passando pelo estranho Nós e também pelo remake de um dos seriados mais icônicos de todos os tempos, Twilight Zone.


Como em Twilight Zone, a audiência de Não! Não Olhe! é conduzida por diversas histórias, algumas mais violentas, como a que mostra um chimpanzé ator que tem um ataque no set e massacra toda a equipe de filmagem. Todas têm relação com a dos irmãos que tocam um rancho onde criam cavalos usados no cinema. Eles perderam o pai, assassinado em um evento inexplicável, por algo que não entendem bem o que é - e que, ao longo do filme, vamos descobrir serem extraterrestres.


As homenagens tanto a Shyamalan quanto a Steven Spielberg e seu Contatos Imediatos são óbvias e é divertido tentar identificá-las ao longo do filme. Divertido também é observar como a maior parte das cenas parece muito, mas muito exagerada, cheia de detalhes absurdos e uma tensão digna de pesadelos.


Ajuda também a criar o clima a presença de um colaborador habitual do diretor: o britânico Daniel Kaluuya, um sujeito bastante expressivo e que ficou conhecido dos fãs pelo sucesso de Corra, outra obra de Jordan Peele, e apareceu também em Judas e o Messias Negro, biografia de um dos líderes dos Panteras Negras nos anos 60 e 70.


Destaque especial para a trilha sonora da produção, repleta de músicas estranhas, bem de acordo com o que se vê na tela e com alguma influência de westerns clássicos, compostas por Michael Abels, um nome bastante interessante.


Pontuam a trama também sucessos da black music, como Walk On By, de Dionne Warwick, e uma música que confesso que não conhecia: La Vie C’est Chouette, canção em francês que lembra muito o som que Brigitte Bardot fazia nos anos 70 e que é cantada por ninguém menos que a ganhadora do Oscar Jodie Foster.


Questões sociais como o racismo permeiam toda a história, como também já é comum em filmes de Jordan Peele. A experiência de assistir a Não! Não Olhe! é impactante, mesmo que depois de um tempo você fique pensando se tudo aquilo foi realmente bom ou apenas exagerado e confusamente misturado, tal qual os filmes do Shyamalan. Jordan Peele é assim: faz sempre filmes que eu adoro achar esquisitos e nos quais a forma vale muito mais do que o conteúdo. O processo é sempre divertido!


+++
Rudd no streaming

O ator Paul Rudd, conhecido por séries como Friends e Parks and Recreation, vai se juntar ao elenco de Only Murders in the Building, do streaming Star+, na terceira temporada do show. Ele já havia feito uma participação especial no episódio final da segunda temporada do show e agora se junta a Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez na trama sobre um grupo de amigos tão apaixonado por um podcast sobre crimes que seus integrantes acabam se tornando suspeitos de um assassinato.


Kong na Disney+
Uma série com atores vai mostrar as origens de um dos monstros mais temidos (e amados!) da história do cinema: King Kong. O show, que ainda está nos estágios iniciais de desenvolvimento, será exibido no Disney+ e mostrará tanto a história desconhecida de Kong quanto detalhes misteriosos de sua terra-natal, a Ilha da Caveira. Ao longo da história do entretenimento, são várias as versões de King Kong já produzidas, com destaque para a original, de 1933, e a maravilhosa versão que Peter Jackson lançou em 2005. Vai ser um belo desafio estar à altura de tanta tradição!


Tudo sobre:
Logo A Tribuna
Newsletter